Última hora

Em leitura:

Turquia: Grupo Falcões da Liberdade do Curdistão avisa turistas que o país não é seguro

mundo

Turquia: Grupo Falcões da Liberdade do Curdistão avisa turistas que o país não é seguro

Publicidade

O grupo radical Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK em curdo) reivindicou a autoria do atentado suicida da última terça-feira, em Istambul, na Turquia, que matou 11 pessoas e deixou um aviso aos turistas de que “o país não é seguro para eles”.

Um carro armadilhado embateu contra um autocarro da polícia, na terça-feira (7 de junho) no centro da cidade, durante a hora de ponta, perto de uma das principais zonas turísticas de Istambul.

As autoridades anunciaram, já, um reforço da segurança na cidade, destacando mais 5 mil agentes da polícia.

A Turquia, é o sexto maior destino turístico do mundo. O número de visitantes sofreu uma quebra abrupta, nos últimos meses, com o deteriorar da segurança.

No comunicado, divulgado na internet, o TAK afirma que o atentado teve como objetivo “vingar a guerra suja no Curdistão”, perpetrada pelas forças turcas.

Os Falcões da Liberdade do Curdistão têm ligações ao proscrito Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

As negociações de paz entre o PKK e o governo colapsaram, em 2015, desencadeando a pior onda de violência no sudeste do país, desde a década de 1990.

Milhares de militantes e centenas de agentes de segurança morreram.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte