Última hora

Em leitura:

Nove anos de prisão para irmão de bombista do Bataclan

mundo

Nove anos de prisão para irmão de bombista do Bataclan

Publicidade

Os sete alsacianos suspeitos de ligações ao autoproclamado Estado Islâmico foram condenados a penas entre os seis e os nove anos de prisão pelo crime de associação criminosa.

A justiça francesa deu como provadas as acusações contra os homens com idades entre os 24 e os 27 anos.

A pena mais pesada foi para Mohammed-Aggad, irmão de um dos bombistas suicidas do Bataclan, em Paris.

A defesa já anunciou que vai recorrer. “É uma decisão do medo, num país com medo, por magistrados que estão aqui para responder a esse medo e sem liberdade de escolha. Sabíamos disso e não estamos surpreendidos. O meu cliente sofreu com o peso do nome. Foi o primeiro a ser interrogado e o primeiro alvo do Ministério Público durante o processo. Por isso, não estamos surpreendidos” refere a advogada Françoise Cotta.

De acordo com a acusação, os homens terão viajado para a Síria – entre dezembro de 2013 e fevereiro de 2014 – para receber treino militar do autoproclamado Estado Islâmico. Na Europa, o grupo teria por objetivo recrutar novos elementos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte