This content is not available in your region

Guterres agradece recomendação para Secretário-geral da ONU com "gratidão e humildade"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Guterres agradece recomendação para Secretário-geral da ONU com "gratidão e humildade"

<p><strong>António Guterres</strong> reagiu à decisão do <strong>Conselho de Segurança das Nações Unidas</strong> com “gratidão e humildade”.</p> <p>O antigo primeiro-ministro português e antigo alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados falou deu a <strong>primeira declaração oficial</strong> em <strong>Lisboa</strong> e começou por dirigir-se aos jornalistas e ao mundo <strong>em português</strong>:</p> <p>“Gratidão, em primeiro lugar, em relação aos membros do Conselho de Segurança pela confiança que em mim exprimiram, mas também em relação à Assembleia Geral das Nações Unidas e a todos os Estados-membros por terem decidido num processo exemplar de transparência e abertura, bem como aos meus colegas candidatos cuja inteligência, dedicação, e cujo empenhamento, nesta campanha, muito contribuíram para o prestígio das Nações Unidas”, disse Guterres.</p> <p>Aquele que ocupará a liderança da <span class="caps">ONU</span> depois de uma votação por unanimidade, falou também na “humildade para saber reconhecer a inspiração que vem da coragem e da generosidade de tantos e tantos trabalhadores das Nações Unidas e dos seus parceiros que afrontam os maiores perigos ao serviço da comunidade internacional”.</p> <p>Face a <strong>13 rivais</strong> e durante <strong>quase 300 dias</strong>, Guterres, homem de consenso, manteve a liderança. </p> <p>O atual Secretário-Geral da <span class="caps">ONU</span>, <strong>Ban Ki-Moon</strong> felicitou Guterres após o voto enalteceu as qualidades do português enquanto responsável pela <strong><span class="caps">ACNUR</span></strong>: </p> <p>“Trabalhámos juntos nas Nações Unidas, quando ele era Alto Comissário para os Refugiados. Mostrou compaixão pelos milhões de pessoas que tinham perdido as casas delas. Trabalhou sem cessar para levar a cabo operações de assistência”.</p> <p>Ban Ki Moon teceu ainda elogios à experiência de Guterres enquanto <strong>homem político</strong> e a respeito da sua <strong>formação</strong>: </p> <p>“A experiência dele como <strong>primeiro ministro de Portugal</strong> e o vasto conhecimento que tem dos grandes <strong>temas internacionais</strong> e a sua grande capacidade intelectual vão ser-lhe uteis à frente das Nações Unidas neste período tao importante. </p> <p>António Guterres, por seu lado, pediu ainda aos Estados membros que <strong>apoiassem</strong> Ban Ki Moon até ao fim do seu mandato, que termina em dezembro.</p> <p><strong>O novo Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ocupa o cargo a partir de janeiro de 2017.</strong></p>