Última hora

Última hora

Israel: Lieberman promete apoiar família de soldado condenado por matar palestiniano

As reações ao veredito contra Elor Azaria, o soldado israelita considerado culpado do homicídio de um palestiniano em março de 2016, não se fizeram esperar.

Em leitura:

Israel: Lieberman promete apoiar família de soldado condenado por matar palestiniano

Tamanho do texto Aa Aa

As reações ao veredito contra Elor Azaria, o soldado israelita considerado culpado do homicídio de um palestiniano em março de 2016, não se fizeram esperar.

O ministro israelita da Defesa, Avigdor Lieberman, afirmou: “Apesar do veredito difícil, a primeira coisa que peço a todos – aos que estão a favor da decisão e aos que, como eu, gostam pouco do veredito – é que respeitem a decisão legal. O que é importante é que a instituição da defesa vai fazer tudo o possível para apoiar o soldado e a sua família.”

Nas ruas de Jerusalém, também se multiplicam as opiniões. Se alguns acreditam que o processo era inevitável, um grande número de israelitas mostra-se contra o julgamento e o veredito:

“Espero que o presidente o perdoe rapidamente, logo no primeiro dia em que entre na prisão, ou no dia seguinte. É o que desejo, porque ele é um soldado do Estado de Israel, um filho de Israel.”

“É uma vergonha para o Estado de Israel, tratar um soldado desta forma. O mundo inteiro está a rir-se de nós; uma situação destas não pode produzir-se em nenhum outro país do mundo, quando um terrorista nos ataca e, de uma forma ou de outra, é morto – o que deve acontecer com todos [os terroristas] -, que [o soldado] seja depois levado a tribunal.”

O caso Azaria dividiu profundamente a opinião pública israelita, entre os que defendem o respeito estrito dos valores éticos e os que são a favor de apoiar incondicionalmente os militares confrontados com ataques palestinianos.