Última hora

Última hora

Do outro lado do muro: Presidente mexicano cancela reunião com Trump

O presidente mexicano voltou a afirmar que não vai pagar o muro de Trump na fronteira entre os dois países e ameaça lançar uma batalha nos tribunais, através dos consulados, para defender os migrantes

Em leitura:

Do outro lado do muro: Presidente mexicano cancela reunião com Trump

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente mexicano voltou a afirmar que não vai pagar o muro de Trump na fronteira entre os dois países e ameaça lançar uma batalha nos tribunais, através dos consulados, para defender os migrantes mexicanos.

Donald Trump assinou ontem um decreto onde autoriza o reforço da barreira entre os dois países, ao mesmo tempo que uma delegação mexicana se reunia com a nova administração em Washington.

Enrique Peña Nieto decidiu esta tarde anular a reunião com Donald Trump prevista para o final do mês na Casa Branca.

O anúncio de Peña Nieto foi feito ao mesmo tempo em que Trump afirmava, na rede social, Twitter, “se o México não está pronto a pagar este muro extremamente necessário, então é melhor cancelar a reunião que está agendada”.

==

=

Num discurso ao país, o presidente mexicano tinha ameaçado recorrer aos 50 consulados mexicanos nos EUA para defender, em tribunal, os migrantes do país, através de recursos contra as deportações.

“Eu lamento e desaprovo a decisão dos EUA de prosseguir a construção deste muro que, durante anos, em vez de unir criou divisões. O México não acredita em muros e como já o disse vezes sem conta, o México não vai pagar nenhum muro”.

Na capital mexicana eram cada vez mais as vozes que pediam ao presidente que cancelasse a reunião em Washington.

Para uma manifestante anti-Trump:

“O muro não vai mudar nada. Nenhum muro pode bloquear a fome. Os muros que já existem conseguiram parar a migração? A resposta é não”.

Em Ciudad Juarez, junto à fronteira com os Estados Unidos, um muro, finalizado em 2010, conseguiu reduzir o fluxo de clandestinos de forma drástica, fazendo disparar a violência e o tráfico de droga na cidade.

Atualmente quase metade dos clandestinos que atravessam a fronteira fazem-no com um visto de turista e não “a salto”.

“Penso que necessitamos de fazer avançar o debate para lá das críticas ao muro, é preciso sentar-se com Trump e discutir um plano que funcione melhor pois sabemos aqui na fronteira que os muros não funcionam”, afirma o analista Jesus Pena.

Segundo uma sondagem recente realizada dos dois lados da fronteira, 72% dos norte-americanos e 86% dos mexicanos estão contra a construção do muro.

A promessa eleitoral do republicano surge num momento em que o número de clandestinos que atravessam a fronteira entre os dois países regista uma quebra acentuada nos últimos anos.