Última hora

Última hora

Tensão entre EUA e Irão

As autoridades iranianas defendem que as acusações do presidente norte-americano são infundadas.

Em leitura:

Tensão entre EUA e Irão

Tamanho do texto Aa Aa

A ameaça de Donald Trump de retirar os Estados Unidos da América do acordo nuclear com o Irão e de impor sanções à Guarda da Revolução da República Islâmica, dominaram as manchetes dos jornais, em Teerão.

As autoridades iranianas defendem que as acusações do presidente norte-americano são infundadas.

“Apesar de todas as alegadas ameaças, o discurso de Trump não mencionou nada de específico, mas uma atmosfera negativa tentando chamar a atenção do mundo para o Irão, para acusações relacionadas a violações dos Direitos Humanos e terrorismo, que acabou por voltar-se contra os Estados Unidos”, assegura Alireza Rahimi, membro da Comissão de Segurança Nacional e Política Externa do Irão

Na declaração, Donald Trump acusou o Irão de violar o acordo de 2015, advertindo os iranianos para a correção de várias “falhas” no documento e acusou o país do Golfo Pérsico de financiar o terrorismo.


Uma iraniana afirma que “temos a menor ligação possível com os Estados Unidos, e se querem sair do acordo, ou colocá-la em perigo, não creio que o acordo e os nossos laços com a Europa possam ser afetados.”

“Trump estava tão enganado ao dizer essas coisas. Ninguém pensa em nós tanto quanto nós, nenhum país se preocupa connosco”, assegura um iraniano.

O presidente iraniano afirmou que o acordo não é negociável. Hassan Rohani criticou as palavras de Donald Trump sobre o programa de mísseis iraniano e assegurou que o objetivo é a defesa do país.

O correspondente da euronews em Teerão, Javad Montazeri, relaque que “o Irão diz não ter intenção de aumentar as tensões e tem afirmado, frequentemente, que não será o primeiro país a violar o acordo. No entanto, a posição das autoridades iranianas, nos últimos dias, mostra que não estão dispostas a negociar o potencial da defesa do Irão e o seu programa de mísseis e que vão mostrar reações sérias a quaisquer possíveis sanções dos Estados Unidos contra a Guarda da Revolução da República Islâmica”.