Última hora

Última hora

Manifestantes pedem a Camberra que assuma as responsabilidades

Qual o futuro dos requerentes de asilo que se encontram no centro de detenção na Papua Nova Guiné que vai ser encerrado esta terça-feira? É o que perguntam os australianos a Camberra

Em leitura:

Manifestantes pedem a Camberra que assuma as responsabilidades

Tamanho do texto Aa Aa

A poucas horas de Camberra acatar a ordem a justiça para encerrar o centro de detenção na ilha de Manus, dezenas de pessoas saíram à rua em Sidney para exigir medidas ao Governo australiano. Em causa está o futuro de centenas de requerentes de asilo.

‘‘O que o governo está a fazer, neste momento, é a empurrar as 600 pessoas deste centro de detenção para outros locais na ilha de Manus sem condições de segurança ou qualquer tipo de serviços” refere Ian Rintoul, porta-voz da coligação Ação para os Refugiados.

O ministro da Imigração da Papua Nova Guiné, também, já tinha pedido ao Governo australiano para que assumisse a responsabilidade pelos requerentes de asilo que se encontram presos no centro criado há cinco anos por Camberra. Desde 2012, a Austrália coloca em dois centros de detenção – em Manus e na ilha de Nauru – os requerentes de asilo e migrantes que procuram abrigo no país.


Várias Organizações Não Governamentais têm vindo a público denunciar as condições em que vivem e os ataques de que são alvo.