Última hora

Última hora

Rússia trava investigação sobre uso de armas químicas na Síria

Rússia veta proposta nas Nações Unidas para prolongar investigação sobre uso de armas químicas na Síria

Em leitura:

Rússia trava investigação sobre uso de armas químicas na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A investigação internacional para apurar responsabilidades sobre o uso de armas químicas na Síria chegará ao fim na próxima sexta-feira. Não porque esteja concluída, mas porque a Rússia vetou pela terceira vez no espaço de um mês uma proposta nas Nações Unidas para a prolongar por um mês.

Para a embaixadora dos Estdos Unidos, Nikki Haley, é vergonhoso que a Rússia discorde de qualquer mecanismo que possa esclarecer o uso de armas químicas por parte do seu aliado, o regime sírio.

A resposta russa não se fez esperar. Para Vassily Nebenzia, representante do país nas Nações Unidas, não valia a pena culpar a Rússia agora uma vez que “foi a escolha que fizeram, de forma deliberada e consciente, quando a prioridade não passava por assegurar uma investigação de qualidade sobre o terrorismo com armas químicas, mas sim pressionar a Síria e procurar um confronto com a Rússia.”

Há muito que Moscovo aponta o dedo aos erros da investigação, que ainda assim já revelou a existência de ataques com gás sarin e cloro por parte do regime sírio, assim como o uso de gás mostarda por parte do grupo Estado Islâmico.