Última hora

Última hora

Argentina: familiares dos marinheiros desaparecidos querem que as buscas continuem

Os familiares dos 44 tripulantes do submarino argentino, desaparecido há mais de duas semanas, manifestaram-se em Mar del Plata para pedirem ao governo que continue as buscas.

Em leitura:

Argentina: familiares dos marinheiros desaparecidos querem que as buscas continuem

Tamanho do texto Aa Aa

Os familiares dos 44 tripulantes do submarino argentino, desaparecido há 18 dias, manifestaram-se este domingo na cidade de Mar Del Plata, onde se situa a base a que pertenciam, para solicitarem ao governo que continue as buscas.

O sentimento é de dôr e revolta. Marcela Moyano, esposa de um dos marinheiros desaparecidos, afirma:

"São os nossos heróis. É por isso que queremos que continuem as buscas. Queremo-los de volta. Como tenho dito muitas vezes: "levaram-nos, vão ter que os trazer de volta".

A Armada argentina deu por findas as buscas com o objetivo de salvamento e passou à fase de tentativa de localização do aparelho, por convicção de que já não há sobreviventes O porta-voz, Enrique Balbi, explicou em conferência de imprensa qual é a área que está a ser explorada, “que foi determinada pelo momento em que se registou a explosão, tendo em conta a margem de erro calculada nestas circunstâncias".

O submarino ARA San Juan navegava no Atlântico e referiu pela última vez a sua posição na manhã de 15 de novembro, na zona do Golfo de São Jorge, a 432 quilómetros da costa argentina. Três horas depois, a 27 quilómetros dessa posição, foi registado um som compatível com de uma explosão.