Última hora

Última hora

Polícia dispara sobre homem com arma branca no aeroporto de Amesterdão

Em leitura:

Polícia dispara sobre homem com arma branca no aeroporto de Amesterdão

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia dos Países Baixos alvejou um homem que entrou nas instalações das autoridades, situadas no aeroporto internacional de Schiphol e que terá ameaçado os agentes com uma arma branca.

De acordo com um porta-voz da polícia, a situação encontrava-se normalizada no final da tarde de sexta-feira.

O porta-voz explicou ainda aos jornalistas que os agentes dispararam sobre o atacante, que ficou ferido numa perna e transportado para o hospital.

O homem "parecia uma pessoa confusa", disseram os agentes, quando chegou à entrada conhecida como Schiphol Plaza, pela qual passam milhares de passageiros todos os dias.

A zona, que é também um centro comercial, foi imediatamente evacuada e fechada. Os comboios urbanos que destinados a Schiphol foram também suspensos, enquanto os agentes procuravam entender o que se tinha passado e se o suspeito se encontrava ou não sozinho.

O tráfego aéreo, por outro lado, não sofreu qualquer tipo de perturbação por causa do incidente.

Imagens captadas pelos telemóveis de alguns passageiros mostram os momentos que se seguiram ao incidente, com pessoas a falar sobre os disparos. Podem também ser ouvidos alguns tiros.

Um dos aeroportos mais importantes da Europa

O aeroporto internacional de Schiphol fica situado na província da Holanda do Norte e serve a região metropolitana de Amsterdão, assim a conurbação de Randstaad, que conta com seis milhões de habitantes.

É o aeroporto mais importante dos Países Baixos e um dos mais importantes da Europa Ocidental, funcionando como placa giratória entre os principais destinos do mundo e o velho continente.

Com quase 64 milhões de passageiros em 2016, é o terceiro aeroporto mais movimentado da Europa, depois de Heathtrow (Londres) e Charle de Gaulle (Paris).

Em abril do ano passado, Schiphol foi evacuado durante a noite, apenas três semanas depois dos atentados jiadistas de Bruxelas, que deixaram 32 mortos.

As autoridades decidiram evacuar o aeroporto depois de um alerta lançado por um passageiro polavo, que garantiu ter uma bomba e "ser um terrorista".