Última hora

Última hora

Lula fala esta noite depois de recusar entregar-se

Em leitura:

Lula fala esta noite depois de recusar entregar-se

© Copyright :
Reuters/Paulo Whitaker
Tamanho do texto Aa Aa

Lula da Silva mantém a decisão de não se entregar à justiça e anunciou que discursa às 16 horas locais (20 horas em Lisboa). A defesa confirmou que apresentou uma medida cautelar no Comité de Direitos Humanos das Nações Unidas para impedir a prisão do ex-presidente do Brasil.

Entretanto, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou que ainda está a apreciar o novo pedido de "habeas corpus" feito pela equipa jurídica de Lula, depois de informações divulgadas na imprensa de que esse pedido tinha sido indeferido. Na verdade, essa informação referia-se a um outro pedido, feito por um cidadão, e não ao que partiu da defesa de Lula.

O gabinete de advogados que assegura a defesa do ex-presidente confirmou à euronews que o processo 443.941, referente ao novo "habeas corpus", está ainda a ser apreciado.

Este novo recurso foi apresentado ao STJ depois de o juiz federal Sérgio Moro ter ordenado a prisão do ex-presidente, o que aconteceu apenas uma hora depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter rejeitado o "habeas corpus" anterior. A defesa alega que a decisão de Moro é ilegal e inconstitucional, uma vez que uma sentença anterior estabelecia que a prisão não podia ser ordenada sem que todos os trâmites estivessem terminados.

O ex-chefe de Estado foi condenado a uma pena de doze anos e um mês de prisão, acusado de ter recebido um apartamento de luxo em Guarujá (São Paulo) da construtora OAS, uma das empresas envolvidas no escândalo de corrupção centrado na petrolífera Petrobrás.

Point of view

Há pessoas que passeavam para lá e para cá com malas recheadas de dinheiro que continuam impunes.

Dilma Rousseff Ex-Presidente do Brasil

A defesa de Dilma

A sucessora de Lula na presidência (entretanto impugnada) Dilma Rousseff, saiu em defesa dele, numa manifestação de apoio: "Aqueles que falam em impunidade esquecem-se que está uma quadrilha no poder e que há pessoas que passeavam para lá e para cá com malas recheadas de dinheiro que continuam impunes", disse Rousseff.

O antigo presidente do Brasil Lula da Silva tinha revelado esta sexta-feira a sua vontade de não se apresentar na sede da Polícia Federal de Curitiba, onde deveria entrar até às 17h00 locais (21h em Lisboa) para cumprir a ordem de prisão.

A informação foi avançada pelo jornal Folha de São Paulo, que conta que o ex-líder do Partido dos Trabalhadores passou a noite no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo, acompanhado pela família e amigos e que por lá deveria continuar esta sexta-feira.