This content is not available in your region

Governo sírio avança com ofensiva em Idlib

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho
Governo sírio avança com ofensiva em Idlib

A ofensiva do governo sírio para retomar a província de Idlib das mãos dos rebeldes começou esta semana com o apoio das tropas russas.

Todavia, o preço a pagar tem sido muito alto. Demasiados mortos e muitas pessoas forçadas a fugir de casa. A Comissão Independente Internacional de Inquérito sobre a Síria já veio denunciar a escalada do conflito, a maior desde o verão passado.

“A nossa opinião é a de que todas as partes envolvidas no conflito na Síria foram culpadas de graves violações dos direitos humanos, crimes de guerra, etc. Por isso, não é que estejamos a ser brandos com algum lado em especial. Na verdade, estamos chocados com o facto de que todas as partes ignoraram as salvaguardas internacionais, ignoraram a proteção de civis para obter ganhos políticos ou ganhos militares nesta guerra que está a acontecer na Síria”, afirma Hanny Megally, membro da Comissão.

A área agora alvo de ataques tem estado sob um cessar-fogo supervisionado pela Rússia e pela Turquia. Os dois países criaram uma zona desmilitarizada, enquanto o noroeste da Síria permanece sob a influência de Ancara. No entanto, a paciência de Moscovo está a esgotar-se. A Rússia acusa a Turquia de não atacar de forma eficiente o jihadismo.

Entretanto, e apesar das tensões entre os seus parceiros políticos internacionais, o governo sírio recuperou o controlo da cidade de Qalaat al-Madiq, no noroeste do país, capturando também alguns dos moradores na quinta-feira, enquanto entrava no maior território rebelde remanescente sob um enorme bombardeamento.

Desta feita, é a vez do Presidente sírio, Bashar Al-Assad, querer reafirmar a sua autoridade.