This content is not available in your region

Jovens de Hong Kong pedem "democracia ou morte"

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro
Jovens de Hong Kong pedem "democracia ou morte"
Direitos de autor  REUTERS/Kai Pfaffenbach   -  

"Democracia ou morte" - a frase lembra o célebre discurso de Che Guevara nas Nações Unidas, mas está escrita numa parede que leva o nome de outro símbolo internacional. O mural Lennon na baixa de Hong Kong serviu de desabafo para os milhares de estudantes do ensino secundário que interromperam as férias. Juntam-se ao protesto que há 11 semanas agita o território. Vozes que pedem agora mais do que um país dois sistemas; pedem o sufrágio direto e universal.

Uma estudante explica que se junta ao protesto porque "enquanto estudante em Hong Kong deve defender o território"; Considera que com tudo o que aconteceu recentemente, os mais novos também "não podem ficar em silêncio".

O governo de Hong Kong veio hoje considerar um "enorme exagero" a acusação de que a autonomia e liberdade no território estão a desaparecer.

Uma denúncia feita em vários jornais internacionais, em anúncios colocados pelo movimento pro-democracia.

Para esta sexta-feira está previsto um cordão humano. Em hora de ponta, a ideia é ter pessoas a ligar as estações de metro, numa ação que evoca o cordão que juntou dois milhões de pessoas em três Estados do Báltico, há 30 anos.