This content is not available in your region

Comunidade internacional celebra com prudência morte do líder do Daesh

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Comunidade internacional celebra com prudência morte do líder do Daesh
Direitos de autor  REUTERS/File Photo   -  

Foi alívio moderado que grande parte da comunidade internacional recebeu a notícia da morte de Abu Bakr al-Baghdadi. O líder do Daesh pode já não conseguir espalhar o terror, mas deixa um legado que continua a preocupar os líderes políticos.

De acordo com a informação revelada, Baghdadi detonou um colete suicida no momento em que as Operações Especiais dos Estados Unidos levavam a cabo um ataque de precisão perto da fronteira entre a Síria e a Turquia.

Os detalhes da operação não são conhecidos, mas Ancara garante que fez parte da intervenção.

"Vamos continuar a combater grupos terroristas como o YPG, o PKK, ou o Daesh. A Turquia cooperou com os Estados Unidos na neutralização do líder do Daesh", afirmou o ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Cavusoglu.

O autoproclamado Estado Islâmico reivindicou a autoria de vários atentados na Europa. O líder pode ter morrido, mas na Alemanha, o governo mantém-se alerta. "Pensamos nas pessoas na Europa e em todo o mundo que perderam a vida em ataques terroristas do Daesh. Pensamos nessas pessoas e em quem faz o luto por elas, nesta altura que surgem notícias da morte de al-Baghdadi, e em como ele já não pode ordenar esses crimes. Mas isso não significa que a luta contra o Daesh tenha terminado", disse o porta-voz de Angela Merkel, Steffen Seibert.

Também a Rússia, que na Síria combate ao lado do regime de Bashar al-Assad contra o Daesh, se congratulou com a morte de Baghdadi, assumindo que, a ser verdade, será um grande de contributo para a luta contra o terrorismo internacional.

O líder do Daesh tinha criado, em 2014, um califado entre o Iraque e a Síria. Uma região recuperada pelos Estados Unidos e aliados locais, no início deste ano.