Milhares em solidariedade com vítimas de massacre de Hanau

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho
Milhares em solidariedade com vítimas de massacre de Hanau
Direitos de autor  Nicolas Armer/dpa via AP

Milhares de pessoas saíram este domingo à rua em solidariedade com as famílias e os amigos das vítimas do ataque em Hanau, que fez nove mortos nesta cidade alemã na passada quarta-feira.

O atacante era um militante de extrema-direita, de 43 anos. No entanto, muitos reclamam mais atenção para as vítimas e apontam as culpas do ataque com motivações xenófobas ao partido AfD, Alternativa para a Alemanha.

Uma dessas vozes é a do advogado Mehmet Gurcan Daimaguler, que já esteve ao lado das vítimas no julgamento da célula terrorista de extrema-direita NSU (National Socialist Underground), em 2018, que terá sido responsável pela morte de 10 pessoas.

"A AfD não inventou o extremismo de direita, a xenofobia e o racismo. Mas pegou nisso e reforça-os todos os dias. E carregam essas ideias para o seio da sociedade. Isso está a moldar os nossos jovens", afirmou.

A fundação Amadeu Antonio, que combate o antissemitismo e o racismo, deu um passo em frente na homenagem das vítimas e divulgou num tweet os nomes das nove pessoas assassinadas. A iniciativa faz parte da campanha "Digam os seus nomes" ('Say their names'), que pretende tirar o foco mediático do atirador.

Velas, fotografias e muitas flores foram deixadas no local do duplo ataque que está a deixar o país em alerta. O governo alemão anunciou mesmo o reforço da vigilância em lugares mais sensíveis, como mesquitas ou aeroportos, e considerou a violência de extrema-direita como a principal ameaça no país.