Ator julgado no Brasil por violência sexual

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro  com EFE
Coletivo de atrizes argentinas ao lado de Thelma Fardin, em São Paulo
Coletivo de atrizes argentinas ao lado de Thelma Fardin, em São Paulo   -   Direitos de autor  Natacha Pisarenko/AP   -  

Começou no Brasil um julgamento sobre abuso sexual que abre um novo capítulo na cooperação judiciária internacional. O ator com dupla nacionalidade argentina e brasileira Juan Darthés é acusado de violar a colega de profissão Thelma Fardin. O caso remonta a 2009, quando a atriz argentina tinha 16 anos e Darthés 45. Ambos estavam em digressão na Nicarágua para promover uma telenovela.

A denúncia levou 9 anos a ver a luz do dia. Encorajada pelo movimento #metoo, Thelma Fardin apresentou queixa contra o ator. A justiça nicaraguense formalizou a acusação contra Darthés por violação agravada em 2019.

O actor negou a acusação. Estava a viver em território brasileiro quando foi conhecida a acusação e apesar do Brasil não extraditar nacionais, foi aberta uma investigação criminal que determinou o julgamento.

Para Melisa Melcer, de uma associação deatrizes argentinas, estes casos mediáticos ajudam outras pessoas a "reconhecerem-se como vítimas" e drem o primeiro passo. A atriz acredita que esta denúncia e este julgamento dão "coragem a outras pessoas", mas lembra que é preciso que o combate se faça com políticas eficazes.

Na América latina, este julgamento tem sido descrito como histórico . O caso estabeleceu um precedente para a colaboração das procuradorias de três países - Argentina, Nicarágua e Brasil - no domínio da violência de género. Pela naturea pessoal dos depoimentos, as sessões decorrem à porta fechada.