This content is not available in your region

Rússia: Candidatura da Ucrânia à UE é "assunto interno da Europa"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia
Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia   -   Direitos de autor  frame

Moscovo qualificou como "assunto interno da Europa" a decisão dos Vinte Sete de acordarem o estatuto de candidato à União Europeia à Ucrânia e à Moldávia.

O porta-voz do Kremlin e secretário de Vladimir Putin, Dmitry Peskov, diz que a Rússia só não quer problemas.

"Esses são, naturalmente, assuntos internos europeus. É muito importante para nós que todos estes processos não tragam mais problemas para nós próprios, e mais problemas nas relações entre os países mencionados e a Rússia. Já existem problemas suficientes. E [é importante que estes processos] não conduzam a uma maior deterioração das nossas relações com a UE, porque é muito difícil prejudicá-las mais do que já estão", afirmou.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, diz que a adesão da Ucrânia e da Moldávia não representa riscos para a Rússia, mas acusa a União e a NATO de quererem fazer guerra à Rússia como fizeram os nazis com a União Soviética.

"Quando a Segunda Guerra Mundial começou, Hitler sob a sua bandeira, tinha reunido uma grande parte dos países europeus para travar uma guerra contra a União Soviética, pelo que agora é muito semelhante, hoje em dia a UE e a NATO estão a reunir uma coligação contemporânea para lutar e, em grande medida, travar uma guerra contra a Rússia", disse Lavrov.

Moscovo vê o fornecimento de armas ocidentais à Ucrânia como uma forma de europeus e americanos travarem um conflito por procuração contra a Rússia.