This content is not available in your region

UE: aprovado estatuto de candidato à adesão para Ucrânia e Moldávia

Access to the comments Comentários
De  Pedro Sacadura
euronews_icons_loading
Apesar da "luz verde" sobre o estatuto de país candidato, o processo de adesão à UE pode demorar anos
Apesar da "luz verde" sobre o estatuto de país candidato, o processo de adesão à UE pode demorar anos   -   Direitos de autor  Olivier Matthys/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

A Ucrânia recebeu "luz verde" dos 27 Estados-membros e tem agora o estatuto de país candidato à adesão à União Europeia (UE).

O presidente do Conselho Europeu falou num "momento histórico."

Já o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que envia uma mensagem clara de apoio a Kiev, quatro meses após o início da invasão russa: "a mensagem que enviamos de forma clara é uma mensagem forte, coerente com o que a nossa Europa soube fazer desde o primeiro dia do conflito: reagir de forma rápida, histórica e unida, através de sanções, dois dias depois, seis vezes, através do apoio macroeconómico, militar e financeiro à Ucrânia, e agora através deste gesto político."

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, agradeceu aos líderes europeus o sinal de apoio.

"Esta vitória é nossa. Esperámos por ela durante 120 dias e 30 anos. Vamos derrotar o inimigo e descansar ou, provavelmente, vamos reconstruir a Ucrânia primeiro e depois descansar", disse.

Os chefes de Estado e de Governo da UE tomaram a decisão durante a cimeira europeia de dois dias que decorre em Bruxelas.

Também deram "luz verde à atribuição do estatuto de país candidato à Moldávia, outro antigo-estado soviético que faz fronteira com a Ucrânia e que poderia ser facilmente desestabilizado.

Desde que a guerra começou, o processo avançou em velocidade recorde. Agora, ambos os países terão de trabalhar para introduzir reformas antes de iniciar as negociações de adesão.

"Claro que os países têm de fazer o trabalho de casa antes de avançarem para a próxima etapa do processo de adesão. Estou convencida de que todos se moverão o mais rápido possível e trabalharão o máximo possível para implementar as reformas necessárias", referiu, em conferência de imprensa, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

A Geórgia terá de esperar mais. Só terá o mesmo estatuto da Ucrânia e da Moldávia se forem cumpridas condições enumeradas pelas Comissão Europeia como, por exemplo, o reforço das estruturas anticorrupção.