Última hora
This content is not available in your region

Neve e energias renováveis em projeto luxuoso no Dubai

euronews_icons_loading
Neve e energias renováveis em projeto luxuoso no Dubai
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai Tourism
Tamanho do texto Aa Aa

O projeto World, no Dubai, é um resort de luxo, construído no mar, em seis ilhas artificiais. O conjunto é visível a partir do espaço. Os arquitetos inspiraram-se na forma do planeta Terra.

Com um orçamento de cinco mil milhões de dólares, o projeto integra casas flutuantes de três andares, incluindo um piso debaixo de água, e foi concebido para acolher 16 mil turistas.

Neve e energias renováveis

O projeto imobiliário aposta numa série de tecnologias de ponta para que seja possível, por exemplo, ter neve ao longo do ano, mas, segundo o promotor, a energia consumida provém de fontes renováveis. "Temos de ser capazes de viver neste planeta, sem o destruir. Temos de voltar a respeitar a natureza, especialmente neste caso, porque estamos a construir no oceano. Dou um exemplo simples. Se houver um derrame de petróleo na terra, o solo pode absorvê-lo até um certo ponto e temos tempo para limpar o solo. No oceano, isso não é possível", afirmou Josef Kleinsienst, presidente do grupo Kleinsienst e promotor do projeto.

euronews

A preservação dos recifes de coral

A preservação do oceano é considerada uma prioridade para os promotores do projeto. Em 2017, 70% dos corais dos Emirados Árabes Unidos ficaram branqueados devido às temperaturas elevadas que se fizeram sentir no verão. O branqueamento é um fenómeno que leva à morte dos recifes de coral e de todo o ecossistema marinho que depende desses recifes.

Juan Diego Suarez lidera uma equipa de biólogos marinhos no Dubai. "Estas águas estão vazias. Queremos que a vida regresse às águas, nesta área. Colocamos aqui um recife artificial ao qual adicionamos corais. Esses corais fazem com que a diversidade regresse. É muito interessante e não funciona apenas com peixes, mas também cavalos-marinhos. Há peixes, corais e recifes artificiais ", explicou o biólogo marinho.

Estão a ser cultivados 100 mil novos corais. "A partir de um único coral, realizamos uma fragmentação. O objetivo da fragmentação é estimular o crescimento dos corais. Os corais crescem um centímetro por ano mas graças à fragmentação podem crescer 20 vezes mais depressa", afirmou Juan Diego Suarez.

euronews

Zero descargas no oceano

Um dos objetivos do projeto imobiliário é evitar a poluição do oceano. "Temos uma política de zero descargas. Estamos muito conscientes da necessidade de manter a água limpa. Não usamos pesticidas, fungicidas nem inseticidas. Só usamos fertilizantes naturais, por isso, é uma abordagem extremamente sustentável", explicou Richard Westcott, arquiteto do projeto.

euronews

A dimensão pedagógica do projeto

A iniciativa integra um programa educacional virado para as crianças. "Ensinamos às crianças que é um coral e o que se passa debaixo de água. Pode também ensiná-las a mergulhar ou a fazer snorkel. E depois cada criança tem um metro quadrado, cada criança que vier para aqui terá um espaço debaixo de água onde pode plantar os seus fragmentos de coral. Nós ensinamos-lhe como fragmentar o coral. O coral está até geolocalizado graças ao GPS. Em vez de plantar uma árvore, planta-se um coral", frisou o biólogo.