Segmento publicitário

 OCP
‘Partner Content’ is used to describe brand content that is paid for and controlled by the advertiser rather than the Euronews editorial team. This content is produced by commercial departments and does not involve Euronews editorial staff or news journalists. The funding partner has control of the topics, content and final approval in collaboration with Euronews’ commercial production department.
Segmento publicitário
‘Partner Content’ is used to describe brand content that is paid for and controlled by the advertiser rather than the Euronews editorial team. This content is produced by commercial departments and does not involve Euronews editorial staff or news journalists. The funding partner has control of the topics, content and final approval in collaboration with Euronews’ commercial production department.
OCP

OCP assume o compromisso do restauro da biodiversidade em África

Restauro da reflorestação em Madagáscar
Restauro da reflorestação em Madagáscar   -   Direitos de autor  OCP

Desde o começo dos tempos que a biodiversidade está sujeita a flutuações. As espécies e os habitats estão em constante mudança e adaptação às variações climáticas. No entanto, nos últimos anos e décadas, a atividade humana provocou mudanças tão significativas no ambiente que dezenas de milhares de espécies desaparecem todos os anos.

O Grupo OCP, líder mundial em nutrição vegetal e o maior produtor mundial de fertilizantes à base de fosfato, reconhece que as estratégias a longo prazo devem incorporar todas as formas possíveis de proteção dos habitats e formas de vida.

Na qualidade de interveniente industrial empenhado, o grupo definiu uma estratégia para a preservação da biodiversidade com base no conhecimento, monitorização e avaliação desta herança, de modo a tomar as medidas necessárias para reduzir os impactos negativos sobre a flora e a fauna.

Os compromissos do grupo incluem: integrar a conservação da biodiversidade na sua estratégia e planeamento empresariais; a preservação de locais de património cultural e natural; a monitorização e o controlo cuidadosos de qualquer impacto na biodiversidade resultante das operações do próprio OCP, a eliminação responsável de materiais residuais para a preservação de rios e lagos, e a proteção de habitats e de ecossistemas com elevado valor ecológico nas áreas onde o grupo opera.

Ao unir esforços com várias entidades multilaterais, o OCP está envolvido de perto em vários projetos com benefícios a curto e a longo prazo para a biodiversidade. Estes projetos abrangem várias áreas, como a escassez de água, a degradação dos solos, a desertificação, a desflorestação e a agricultura insustentável.

Cada um dos locais onde o grupo opera passa por uma análise da biodiversidade durante o processo de licenciamento e nenhum desses locais está localizado ou junto de áreas protegidas. Os próprios locais têm um plano de gestão para os seus espaços verdes e os projetos em curso garantem a reabilitação dos terrenos de mineração.

O OCP reconhece a sua responsabilidade de proteger os terrenos onde opera, mas também de se esforçar por fazer a diferença noutros locais. O grupo pretende expandir ainda mais o seu alcance, com o objetivo de promover a preservação da biodiversidade para além das fronteiras de Marrocos, no continente africano.

Através da Fundação OCP, uma organização sem fins lucrativos de serviços públicos, o grupo trabalha com comunidades em África e noutros locais, ao apoiar iniciativas sustentáveis que promovem o desenvolvimento humano.

“Acreditamos firmemente que a combinação de esforços com os nossos parceiros e a partilha das nossas capacidades é a única forma de resolvermos os nossos desafios comuns. A capacitação dos nossos parceiros e das comunidades é uma prioridade: as nossas parcerias focam-se normalmente em áreas piloto e permitem aos beneficiários familiarizar-se com as ferramentas e as técnicas implementadas, o que lhes permite continuar a trabalhar no restante território, o que, por sua vez, os ajuda a desenvolver comunidades resilientes” Hassina Moukhariq, responsável pelo portefólio internacional da Fundação OCP.

A corrida para salvar o Parque Niokolo-Koba

© OCP
Laboratório móvel de análise da água, Parque Nacional Niokolo-Koba, Senegal© OCP

Alguns dos projetos de conservação e gestão da biodiversidade da Fundação OCP estão no Senegal, onde se encontra o Parque Nacional Niokolo-Koba. Abrangendo quase 10 000 km² de floresta e pântanos, este enorme parque é o habitat de uma grande variedade de fauna, incluindo leões, elefantes, chimpanzés e leopardos.

No entanto, consta da lista de património mundial ameaçado da UNESCO, graças à caça furtiva, secas, incêndios, pobreza dos solos e invasões de populações locais. Estes e outros fatores resultaram numa queda da qualidade da água e nos níveis em declínio da biodiversidade.

A Fundação OCP, em conjunto com o Ministério do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Senegal, lançou um projeto de conservação de três anos para a área. A iniciativa tem duas vertentes: fornece equipamento e formação aos gestores no terreno, para que estejam capacitados para melhorar a qualidade da água, e trabalha com as comunidades locais para desenvolver projetos e aumentar a sensibilização para esta matéria.

A Fundação consegue ter este papel com a ajuda de formadores especializados da Universidade Politécnica Mohammed VI (UM6P) em Marrocos. Vinte e quatro executivos do Departamento de Parques Nacionais do Senegal receberam formação em análise da qualidade da água e um laboratório móvel de análise da água foi fornecido à Direção de Parques Nacionais, o que permitiu à equipa colocar em prática as técnicas que aprendeu.

“Graças a este projeto, vamos poder finalmente resolver o problema da qualidade da água no parque através do sistema de laboratório móvel”, afirma o Coronel Bocar Thiam, diretor dos Parques Nacionais do Senegal. “Isso é reforçado pela formação dos nossos agentes, pela educação ambiental e o aumento da sensibilização, com vista a uma mudança dos comportamentos a favor da conservação da biodiversidade.”

As comunidades locais também beneficiaram com este projeto, através do apoio fornecido à associação de mulheres localizada perto do parque. Com o desenvolvimento de capacidades técnicas e de gestão proporcionado pela Fundação OCP e o Cooplab, um laboratório de ideias e de inovação social na UM6P, a associação conseguiu criar uma quinta agroecológica, gerando rendimento e produtos para a população local.

Conservação de pântanos em Joal-Fadiouth

© OCP
Reflorestação de mangais na área protegida marinha de Joal-Fadiouth, Senegal© OCP

Na costa ocidental do Senegal, a baía de Joal-Fadiouth é uma área protegida e um habitat importante para a vida marinha. Em conjunto com o Ministério do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável do país e o Departamento de Áreas Protegidas Marinhas Comunitárias, a Fundação OCP assumiu o projeto de ajudar as comunidades locais em termos económicos e sociais, e de proteger a biodiversidade marinha e costeira na área.

Os pântanos que abrangem lodaçais e mangais em torno da lagoa de Joal-Fadiouth são o habitat de milhares de espécies de peixes e de aves marinhas. Os mangais proporcionam proteção para espécies migratórias, como as tartarugas marinhas e muitas espécies de moluscos.

O projeto da Fundação OCP pretende proteger estas espécies e, ao mesmo tempo, melhorar o rendimento da pesca, com benefícios socioeconómicos para a população local. Uma parte importante deste projeto é a formação e a educação em temas que incluem o aumento da sensibilização, a salinidade da água, a gestão dos solos e atividades-chave geradoras de rendimento, como a cultura de ostras e a apicultura, ou a gestão de cooperativas, com um foco especial em associações de mulheres. Em julho de 2022, uma extensa operação de reflorestação de mangais, abrangendo 20 hectares, foi encetada com parceiros e as comunidades locais.

A Grande Muralha Verde

© OCP
Missão para identificar as necessidades de grupos de mulheres na região de Widou ao longo da Grande Muralha Verde, Senegal, com o apoio do Cooplab da UM6P© OCP

Em toda a África, mas em particular na região do Sahel, que abrange zonas do Senegal, Mauritânia, Mali, Burquina Fasso, entre outros, os habitats estão a ser devastados por secas e a sobre-exploração agrícola. A iniciativa da Grande Muralha Verde (GGW) foi concebida para interromper a desertificação no Norte de África, criando uma vasta zona-tampão, de oeste para este, com árvores e vegetação, e com os objetivos de reforçar a segurança alimentar na região, criar empregos ecológicos e combater a degradação dos solos.

A Fundação OCP associou-se à Agência de Reflorestação da Grande Muralha Verde (ASERGMV) do Senegal para implementar um projeto-piloto com o objetivo de reduzir os efeitos das mudanças climáticas no ambiente e nas comunidades locais. Pretende estabelecer uma relação simbiótica entre as populações que vivem ao longo da Grande Muralha Verde no Senegal, ao criar oportunidades de geração de rendimentos e melhorar as condições de vida, em particular para as mulheres e a juventude.

Em ultima análise, a gestão sustentável dos ecossistemas, a reflorestação e uma melhoria da qualidade da água irá resultar na regeneração da biodiversidade da flora e fauna. Juntamente com os peritos da UM6P, a Fundação OCP comprometeu-se com o fornecimento de formação e educação, e com o fornecimento de equipamento de laboratório para controlo da qualidade da água e a monitorização dos solos. A ASERGMV, a UM6P e a Fundação OCP lançaram também um fundo de investigação na Universidade Politécnica Mohammed VI para apoiar as instituições senegalesas que trabalham no âmbito da Grande Muralha Verde no Senegal. Este fundo de investigação tem como alvo quatro principais áreas de investigação:

• acessibilidade, gestão e governança da água

• necessidades e acessibilidade das energias renováveis

• desenvolvimento da comunidade através da saúde dos solos e do restauro dos ecossistemas

• governança e gestão dos conhecimentos locais.

Restauro da biodiversidade e reflorestação em Madagáscar

Em 2022, a Fundação OCP associou-se ao Ministério da Agricultura de Madagáscar para a implementação bem-sucedida de uma iniciativa de desenvolvimento da comunidade em três regiões do país. O projeto foca-se no restauro da biodiversidade e reflorestação, que vai contribuir para a fixação de carbono e a promoção de emprego local inclusivo.

© OCP
Restauro da reflorestação em Madagáscar© OCP