This content is not available in your region

As mulheres empresárias no Dubai

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
As mulheres empresárias no Dubai
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai

O número de empresárias está a aumentar no Dubai. Falámos com mulheres que lançaram negócios para descobrir os segredos do sucesso empresarial.

Durante dois anos, Coralie Francois-Dolidon sonhou em lançar um negócio na área da moda, no Dubai. Depois de estudar o mercado, chegou à conclusão que a criação de uma empresa nos Emirados Árabes Unidos era mais simples do que imaginava.

“Penso que existe aqui um mercado para pequenos estilistas que tentam promover uma nova moda na cidade. Hoje, sou, ao mesmo tempo, vendedora, contabilista, compradora e, claro, gestora de marketing", sublinhou Coralie Francois-Dolidon, Fundadora da Maison Clad.

“Sinto que podemos fazer melhor se tivermos uma boa organização dedicada às mulheres empresárias, com pessoas que trabalham para ajudá-las, não apenas por dinheiro. Isso pode ter um impacto muito positivo. Um negócio é um grande desafio, mas, ao mesmo tempo, traz muita felicidade quando somos bem sucedidos", sublinhou Reem Abou Samra, fundadora da cadeia La Loge Beauty Lounge.

O desafio da angariação de fundos

As empresárias podem integrar o ecossistema das start-ups do Dubai e aceder a financiamentos e apoios. A Pure Born é uma empresa de fraldas sustentáveis feitas a partir de tecidos biológicos. Fundada no Dubai em 2017 está agora presente em 14 países.

"Para as mulheres e e não só, ser empresária não é fácil, não é uma boa escolha para quem sofre do coração, comporta vários desafios. Tal como acontece em várias áreas, estão a surgir muitas redes de grupos empresariais femininos. No meu caso, tenho muitos mentores masculinos, pessoas que fazem parte de conselhos de administração de bancos ou de empresas investimento. A angariação de fundos para lançar empresas continua a ser um desafio, a nível global. Penso que só dois por cento de todo o capital de risco se destina a empresas fundadas por mulheres, é chocante e os números não mentem. Por isso, penso que, ao nível da angariação de fundos, precisamos de um grande impulso para favorecer o empreendedorismo feminino. Mas em geral no Dubai, há uma grande rede de apoio e mentoria", frisou Hannah Curran, fundadora e presidente da PureBorn.

Empresas criadas por homens têm mais acesso a capitais

Segundo dados da Magnitt, nos Emirados Árabes Unidos, em 2021, 11% do capital de risco foi investido em empresas criadas por mulheres, um número superior à média global que é de 3%. A euronews falou com Saeeda Jaffar que trabalha há mais de vinte anos nos Emirados.

"Há poucos sítios no mundo tão acolhedores e abertamente inclusivos. A integração das mulheres na força de trabalho não é apenas algo promovido, é algo muito esperado", afirmou Saeeda Jaffar, responsável da CGC Visa nos Emirados Árabes Unidos. E dá um conselho básico a quem quer lançar uma empresa: “Centre-se no que gosta, o resto vem depois. É a boa maneira de proceder. Não interessa se é um domínio tradicionalmente dominado por homens. É sempre bom ter modelos e estarmos rodeados por pessoas que talvez tenham passado por experiências semelhantes".