Última hora

Última hora

Nazis, dívidas, indemnizações e Varoufakis, a perigosa polémica entre Atenas e Berlim

O artigo do semanário interroga-se sobre se a Alemanha deveria pagar os empréstimos forçados que Atenas teve de fazer aos nazis durante a Segunda Guerra num valor a rondar os 11.000 milhões de euros.

Em leitura:

Nazis, dívidas, indemnizações e Varoufakis, a perigosa polémica entre Atenas e Berlim

Tamanho do texto Aa Aa

Uma montagem fotográfica com Angela Merkel no meio de nazis na Grécia” sob o título: Como é que os europeus vêem os alemães – A superioridade alemã formam a capa polémica da edição deste sábado da revista alemã Der Spiegel.

Point of view

"Segundo um novo estudo feito na Grécia, a Alemanha deve ao Banco Central da Grécia qualquer coisa como 11 mil milhões de euros relativos aos empréstimos forçados ao 3.º Reich."

O artigo do semanário interroga-se sobre se a Alemanha deveria pagar os empréstimos forçados que Atenas teve de fazer aos nazis durante a Segunda Guerra e afirma que, segundo um novo estudo, feito na Grécia, a Alemanha deve ao Banco Central da Grécia qualquer coisa como 11 mil milhões de euros.

O estudo começou a ser realizado em 2012, muito antes de o Syriza ter chegado ao poder.

A peça jornalística também aborda a questão das indemnizações de guerra, nomeadamente no que diz respeito ao massacre de Distomo, cidade grega onde os nazis executaram 218 pessoas no dia 10 de Junho de 1944.

“Ainda não ouvimos sequer um pedido de desculpas”, lamenta no artigo o vice-presidente da Câmara de Distomo. Loukas Zisis diz admirar a “Alemanha: Marx, Engels, Nietzsche” e “o grau de organização da sociedade. Mas na aldeia (Distomo), ninguém consegue ter paz porque o Estado alemão não está a pagar a sua dívida”.

As contas da História do século XX na Europa continuam longe de estar saldadas.

A polémica do “dedo” de Varoufakis ainda não terminou

A nova polémica surge enquanto continua a troca de mensagens nas redes sociais entre Atenas e Berlim por causa do alegado dedo em riste de Yanis Varoufakis, que o agora ministro das Finanças da Grécia continua a negar ter feito.

Um programa satírico da televisão pública ZDF alega que o “vídeo do dedo” foi manipulado e explica como: