This content is not available in your region

Varoufakis demite-se se o "sim" vencer

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
Varoufakis demite-se se o "sim" vencer

<p>Ou o “não” ganha o referendo grego, ou Yanis Varoufakis demite-se.</p> <p>Quem o diz é o próprio ministro das Finanças da Grécia, numa <a href="http://www.theguardian.com/business/live/2015/jul/02/greek-debt-crisis-athens-creditors-referendum-yes-no-live">entrevista à Bloomberg</a>. Antes, Varoufakis tinha dado uma <a href="http://www.abc.net.au/radionational/programs/latenightlive/defiant-yanis-varoufakis-greek-bailout-referendum-will-go-ahead/6587634">longa entrevista à rádio nacional australiana</a>, onde admite a possibilidade de uma demissão do governo no caso de uma vitória do “sim”.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Greek Finance Minister Yanis Varoufakis on what he'll do if there is a 'Yes' vote. <a href="https://twitter.com/hashtag/GreeceCrisis?src=hash">#GreeceCrisis</a> <a href="http://t.co/eFFHLTZBtY">pic.twitter.com/eFFHLTZBtY</a></p>— Bloomberg TV (@BloombergTV) <a href="https://twitter.com/BloombergTV/status/616532052385644544">July 2, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Why a NO vote in the Referendum is a Yes for a proud Greece in a Decent Europe – Talking with Phillip Adams, on LNL <a href="http://t.co/Qd2QZ64Eki">http://t.co/Qd2QZ64Eki</a></p>— Yanis Varoufakis (@yanisvaroufakis) <a href="https://twitter.com/yanisvaroufakis/status/616489393558261760">July 2, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Varoufakis diz que se houvesse uma possibilidade, mesmo que remota, de as propostas dos credores poderem funcionar e ajudar a Grécia a sair da crise, o governo tê-las-ia aceitado.</p> <p>As sondagens dão agora um empate técnico entre o “não” e o “sim”. A aceitação das propostas dos credores ganhou força desde o encerramento dos bancos. Depois de uma corrida aos levantamentos, os balcões mantêm-se fechados, exceto alguns dias, apenas para os pensionistas, já que muitos deles não têm cartão multibanco. Os levantamentos estão limitados a 60 euros por dia.</p>