Última hora

Última hora

FIFA/ corrupção: Comissão de Ética suspende "vices" detidos e Argentina acentua confusão

A Comissão de ética da FIFA anunciou esta sexta-feira a suspensão por 90 dias, em todas as atividades ligadas ao futebol, dos dois vice-presidentes

Em leitura:

FIFA/ corrupção: Comissão de Ética suspende "vices" detidos e Argentina acentua confusão

Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão de ética da FIFA anunciou esta sexta-feira a suspensão por 90 dias, em todas as atividades ligadas ao futebol, dos dois vice-presidentes detidos quinta-feira em Zurique pelas autoridades suíças, a pedido do Departamento de justiça norte-americano.

O paraguaio Juan Angel Napout e o hondurenho Alfredo Hawit, respetivamente presidentes da CONMEBOL (Confederação da América do sul) e da CONCACAF (Confederação da américa do Norte, Centro e Caraíbas), são suspeitos de fraude.

“O motivo da suspensão, a qual se baseou no pedido do gabinete de investigação sob liderança de Cornel Borbély, é a denúncia efetuada ontem (quinta-feira) pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos das acusações de extorsão, conspiração e corrupção”, lê-se no comunicado emitido pela Comissão de Ética da FIFA (link no “tweet” em baixo).

Também suspeito na investigação anticorrupção conduzida pelas autoridades norte-americanas, o presidente da Confederação Brasileira pediu a suspensão do mandato. Marco Polo del Nero entregou a liderança da CBF ao vice-presidente Marcus Vicente, mas a passagem de testemunho terá de ser ainda validada pela FIFA.

O presidente da CBF, de acordo com o FBI, a agência federal de investigação dos Estados Unidos, terá sido pago à parte para negociar os direitos de transmissão de competições de futebol.

As Honduras, entretanto, receberam um pedido formal dos Estados Unidos para a extradição de outro dos suspeitos da investigação : Rafael Callejas, ex-presidente do país e também da federação de futebol hondurenha.

O governo das Honduras já afirmou que vai, pelo menos, congelar as contas bancárias de Callejas e de Alfredo Hawit, como solicitado pelas autoridades norte-americanas.

Com todo este escândalo de corrupção a manchar a FIFA, o futebol vê-se ainda desacreditado na Argentina, onde as eleições para a presidência da Federação (AFA) tiveram mais um voto que o número de votantes (75) a participar.

O escrutínio revelou um, à partida, impossível empate de 38 votos para cada um dos candidatos, Marcello Tinelli, vice-presidente do clube San Lorenzo, e Luis Segura, presidente do Argentino Juniors e que liderou a AFA de forma interina no último ano e meio.

“É insólito. Não sabemos quem ganhou. Peço-vos desculpa”, lamentou Segura, enquanto Tinelli não escondeu o espanto: “Estamos surpreendidos. Um empate 38-38 é bizarro, é inacreditável. Será preciso uma nova votação”.

Os dois candidatos vão reunir-se em breve para decidir se avançarão para um novo ato eleitoral ou, em contrapartida, se coligarão, formando uma lista única.

O FBI anunicou, por fim, já esta sexta-feira, a detenção de alto responsável do futebol da Guatemala a bordo de um navio cruzeiro em Port Canaveral, Florida, Estados Unidos. Héctor Trujillo, de 62 anos, também juiz de profissão, é um dos suspeitos indiciados quinta-feira pelo Departamento de justiça norte-americano por envolvimento em alegados esquemas de corrupção no desporto.