Última hora

Em leitura:

Terzian: "Um médico na Síria é igual a um criminoso"


Síria

Terzian: "Um médico na Síria é igual a um criminoso"

A organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras responsabiliza o presidente sírio, Bashar Al-Assad pelo ataque contra o hospital na província de Idlib. Depois do líder da missão na Síria foi a vez do presidente dos Médicos Sem Fronteiras em França denunciar a perseguição em curso contra os profissionais de saúde.

“É claramente um ataque contra a missão médica. Ser médico ou enfermeira em áreas controladas pela oposição é igual a ser criminoso. Infelizmente, um médico que trabalhe num hospital vai estar, claramente, na mira do regime sírio” refere Mego Terzian, presidente Médicos Sem Fronteiras em França.

A organização humanitária lamenta que os ataques contra as unidades hospitalares, no norte da Síria, se tenham multiplicado desde setembro, ou seja, após a entrada em cena da aviação russa.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Turquia diz que mísseis russos destruíram hospital sírio