EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Terzian: "Um médico na Síria é igual a um criminoso"

Terzian: "Um médico na Síria é igual a um criminoso"
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras responsabiliza o presidente sírio, Bashar Al-Assad pelo ataque contra o hospital na província

PUBLICIDADE

A organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras responsabiliza o presidente sírio, Bashar Al-Assad pelo ataque contra o hospital na província de Idlib. Depois do líder da missão na Síria foi a vez do presidente dos Médicos Sem Fronteiras em França denunciar a perseguição em curso contra os profissionais de saúde.

“É claramente um ataque contra a missão médica. Ser médico ou enfermeira em áreas controladas pela oposição é igual a ser criminoso. Infelizmente, um médico que trabalhe num hospital vai estar, claramente, na mira do regime sírio” refere Mego Terzian, presidente Médicos Sem Fronteiras em França.

A organização humanitária lamenta que os ataques contra as unidades hospitalares, no norte da Síria, se tenham multiplicado desde setembro, ou seja, após a entrada em cena da aviação russa.

#Idlib: “The destruction of the hospital leaves around 40,000 people without medical services.” #Syriapic.twitter.com/6NSaD5qy48

— MSF International (@MSF) 15. Februar 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turquia diz que mísseis russos destruíram hospital sírio

Ataque russo em zona controlada pelos rebeldes sírios mata dois civis

Dois soldados israelitas mortos em ataque do Hamas na Faixa de Gaza