Última hora

Última hora

Milhares de migrantes em desespero acumulam-se na fronteira entre Grécia e Macedónia

O número de cidadãos afegãos retidos na Grécia aumentou, esta segunda-feira, depois de a vizinha Macedónia ter reforçado as restrições sobre o acesso

Em leitura:

Milhares de migrantes em desespero acumulam-se na fronteira entre Grécia e Macedónia

Tamanho do texto Aa Aa

O número de cidadãos afegãos retidos na Grécia aumentou, esta segunda-feira, depois de a vizinha Macedónia ter reforçado as restrições sobre o acesso ao seu território durante o fim de semana.

A polícia grega afirma que cerca de 2.500 pessoas estão retidas nos campos de refugiados perto da cidade fronteiriça grega de Idomeni, incluindo cerca de 800 afegãos.

“Quando pedimos para nos deixarem passar, dizem-nos que é uma situação temporária, mas já faz quatro dias que aqui estamos,” afirma um afegão retido na fronteira.

“Não queremos comida, só queremos atravessar a fronteira,” esclarece um outro migrante retido na fronteira

Entretanto, o Parlamento esloveno decidiu que
exército seja enviado para vigiar a fronteira com a Croácia de forma a controlar o fluxo de migrantes.

Uma tomada de posição que surge depois de a vizinha Áustria anunciar que vai limitar a entrada de migrantes no país.

Para agência europeia Frontex, o mau tempo é a principal causa da quebra de 40% no número de refugiados que chega à Grécia, principal porta de entrada na Europa. Um número que, mesmo assim, é 40 vezes maior do que um ano antes.

Sírios, iraquianos e afegãos constituem a maior parte das 68.000 pessoas que atingiram a Grécia no mês passado.