Última hora

Em leitura:

Rússia nega ciberataques para influenciar presidenciais nos EUA


EUA

Rússia nega ciberataques para influenciar presidenciais nos EUA

A Rússia negou este sábado as acusações dos Estados Unidos de que Moscovo ordenou uma série de ciberataques contra instituições e organizações políticas norte-americanas com o objetivo de influenciar as eleições presidenciais.

Em comunicado, o vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros afirmou que “não há nenhuma prova” e que se trata de “uma tentativa de promover uma histeria antirrussa sem precedentes”.

A acusação formal contra a Rússia foi apoiada por legisladores de ambos os campos no Congresso norte-americano. O senador republicano Cory Gardner, que preside a uma subcomissão para a Cibersegurança Internacional, indicou na conta pessoal do Twitter que pretende propôr legislação para sancionar o Kremlin.

Segundo os serviços de inteligência e segurança nacional dos Estados Unidos, os ciberataques em questão foram “autorizados por altos responsáveis russos” e visaram particularmente duas organizações democratas, a Comissão Nacional e a Comissão de Campanha Congressional do partido de Hillary Clinton.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Turquia: Dois alegados terroristas fizeram-se explodir