Última hora

Última hora

ONU põe fim a missão no Haiti

A ONU vai dar por terminada a missão de paz no Haiti em outubro, depois de 13 anos no terreno, marcados por várias polémicas, incluíndo acusações de abusos sexuais de crianças por parte de membros do

Em leitura:

ONU põe fim a missão no Haiti

Tamanho do texto Aa Aa

A ONU vai dar por terminada a missão de paz no Haiti em outubro, depois de 13 anos no terreno, marcados por várias polémicas, incluíndo acusações de abusos sexuais de crianças por parte de membros do contingente e de estar por trás de um surto de cólero que fez milhares de vítimas.

O fim da missão foi votado por unanimidade, esta quinta-feira, no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Referindo-se às acusações de sevícias atribuídas a membros da Minustah, a embaixadora norte-americana Nikki Haley afirmou que “é preciso reconhecer as crianças abandonadas, de 12 a 15 anos, que viviam com fome e foram atraídas por soldados da paz com comida, pagando o elevado preço dos abusos sexuais”.

A missão da ONU será substituída por um contingente de polícias encarregues de formar as forças de segurança haitianas.

O economista e líder político haitiano Camille Charlemers diz que as Nações Unidas também precisam de mobilizar todos os recursos humanos, técnicos e financeiros disponíveis para compensar as vítimas da cólera, bem como os milhares de mulheres e crianças que foram violadas”.

Os 2342 soldados da ONU presentes no Haiti vão retirar-se progressivamente nos próximos seis meses.

Se as Nações Unidas reconheceram a responsabilidade de “capacetes azuis” em casos de abusos sexuais, sempre rejeitaram as acusações contra o contingente nepalês, que os haitianos dizem estar por trás do surto de cólera que fez mais de 9000 mortos.