This content is not available in your region

Resultados parciais dão maioria qualificada ao MPLA

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Resultados parciais dão maioria qualificada ao MPLA

<p>João Lourenço vai ser o novo presidente de Angola. Quem o diz é a Comissão Nacional de Eleições apos quase 98 % dos votos contados. Mas o segundo maior partido da oposição, a Unita, não aceita.</p> <p>Segundo a <span class="caps">CNE</span>, o <span class="caps">MPLA</span> recolhia 61 % dos votos, a Unita quase 27 % e o <span class="caps">CASA</span>-CE 9,5 %. Neste cenário o <span class="caps">MPLA</span> sofre uma quebra face às últimas eleições gerais, perde 25 parlamentares, mas conserva a maioria qualificada, com 150 deputados já eleitos, acima da fasquia dos 147.</p> <p>A Unita rejeita os resultados. Claudio Silva, representant do partido na <span class="caps">CNE</span> declarou que o processo violou a lei e os principios democráticos. Já na quinta-feira delegados da oposiça na <span class="caps">CNE</span> rejeitaram a validade do processo de contagem.</p> <p>Quanto ao voto, os observadores portugueses foram claros. Luis Vales, do Partido Social Democrata, afirmou que “estiveram em 14 assembleias de voto e em cada uma delas não houve qualquer incidente. Tudo teve uma boa metodologia, desde a chegada dos eleitores até ao voto propriamente dito”.</p> <p>António Filipe, observador do Partido Comunista Português, afirmou ter havido uma grande evolução desde as eleições de 2008 e que permitiu às pessoas votar mais facilmente. O processo foi rápido e os eleitores tiveram todo o apoio necessário no ato eleitoral e isso pode ser visto por todos”.</p> <p>Recorde-se que a União Europeia apenas esteve presente com uma equipa simbólica no terreno. </p> <p>Nestas que são as quartas eleições do país, a abstenção cifrou-se nos 23 %.</p> <p><a href="http://pt.euronews.com/tag/angola-2017"><img src="https://static.euronews.com/articles/19/01/190154/640x184_bonus-angola-2017.jpg" style="width:100%;"></a></p>