Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Resultados parciais dão maioria qualificada ao MPLA

Resultados parciais dão maioria qualificada ao MPLA
Tamanho do texto Aa Aa

João Lourenço vai ser o novo presidente de Angola. Quem o diz é a Comissão Nacional de Eleições apos quase 98 % dos votos contados. Mas o segundo maior partido da oposição, a Unita, não aceita.

Segundo a CNE, o MPLA recolhia 61 % dos votos, a Unita quase 27 % e o CASA-CE 9,5 %. Neste cenário o MPLA sofre uma quebra face às últimas eleições gerais, perde 25 parlamentares, mas conserva a maioria qualificada, com 150 deputados já eleitos, acima da fasquia dos 147.

A Unita rejeita os resultados. Claudio Silva, representant do partido na CNE declarou que o processo violou a lei e os principios democráticos. Já na quinta-feira delegados da oposiça na CNE rejeitaram a validade do processo de contagem.

Quanto ao voto, os observadores portugueses foram claros. Luis Vales, do Partido Social Democrata, afirmou que “estiveram em 14 assembleias de voto e em cada uma delas não houve qualquer incidente. Tudo teve uma boa metodologia, desde a chegada dos eleitores até ao voto propriamente dito”.

António Filipe, observador do Partido Comunista Português, afirmou ter havido uma grande evolução desde as eleições de 2008 e que permitiu às pessoas votar mais facilmente. O processo foi rápido e os eleitores tiveram todo o apoio necessário no ato eleitoral e isso pode ser visto por todos”.

Recorde-se que a União Europeia apenas esteve presente com uma equipa simbólica no terreno.

Nestas que são as quartas eleições do país, a abstenção cifrou-se nos 23 %.