Última hora

Catalunha: Fuga de empresas não acalma mercados

Em leitura:

Catalunha: Fuga de empresas não acalma mercados

Tamanho do texto Aa Aa

A fuga de várias empresas da Catalunha em previsão de uma declaração de independência não parece acalmar os mercados financeiros. Depois do Banco Sabadell, o CaixaBank e a Gas Natural Fenosa anunciaram esta sexta-feira que também vão transferir a sede social para fora da região autonómica, quando até a célebre marca de “cava” catalão Freixenet anuncia estar a ponderar a saída de Barcelona. Na bolsa de Madrid, as ações das empresas, que não pretendem transferir pessoal, voltaram no entanto a encerrar no vermelho.

As novas tensões políticas fazem com que os investidores temam agora que a situação na Catalunha, que representa um quinto do PIB espanhol, possa afetar a recuperação da economia do país. O FMI alertou hoje para a forma como, “as tensões e a incerteza atual podem pesar sobre a confiança dos investidores em Espanha”. O organismo internacional decidiu para já não modificar as previsões de crescimento espanhol.

As duas principais agências de notação, Standard & Poors e Fitch tinham já alertado esta semana para a possibilidade de rever em baixa a nota da dívida da Catalunha, classificada já em categoria de investimento especulativo. No segundo trimestre deste ano, a dívida catalã representava 35,40% do PIB, à altura de mais de 76 mil milhões de euros.