This content is not available in your region

Lei húngara sobre LGBT entra em vigor

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Lei húngara sobre LGBT entra em vigor
Direitos de autor  Laszlo Balogh/AP   -  

Depois dos avisos da União Europeia, os húngaros voltaram à rua para criticar a polémica lei que proíbe “a promoção” da homossexualidade junto dos menores de 18 anos. A lei, que entra esta quinta-feira em vigor, foi associada à luta do governo contra a pedofilia e ao reforço dos castigos nos casos de abuso infantil

Para Dávid Vig, diretor da Amnistia Internacional na Hungria, trata-se de “uma lei inaceitável que culpa a comunidade LGBT pelos crimes contra crianças e equipara estes crimes ao amor consensual de duas pessoas”.

Esta quarta-feira, no Parlamento Europeu, a presidente da Comissão Europeia garantiu que vai utilizar "todos os instrumentos disponíveis" para defender os "princípios fundamentais" europeus caso a Hungria não "corrija" a lei.

Para além da pressão externa, o governo Viktor Orbán continua a lidar com a contestação dentro do país. Andrea Sztraka, ativista da Amnistia Internacional, pede a participação da sociedade e lembra que todos podem assinar a petição que pede ao Provedor de Justiça para enviar a lei ao Tribunal Constitucional.

Os crimes de ódio têm aumentado na Hungria desde a ratificação da nova lei. Pelo menos dois casais de homossexuais foram atacados, e um grupo homofóbico revelou que quer continuar este tipo de ataques, que qualifica como “eventos de orgulho”.

Sobre a polémica, o primeiro-ministro Viktor Orbán garantiu que defende os direitos dos homossexuais e que esta legislação diz respeito aos direitos das crianças e dos pais.