This content is not available in your region

Ucrânia acusa Rússia de 29 mil crimes de guerra

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
Padre Andriy em Bucha
Padre Andriy em Bucha   -   Direitos de autor  Efrem Lukatsky/AP   -  

As autoridades da Ucrânia registaram mais de 29 mil alegados crimes de guerra por parte dos russos desde que a guerra começou, há exatamente seis meses. Esses crimes estão a ser investigados por um tribunal internacional e várias ONG. 

Por enquanto, o trabalho está nas mãos de pessoas como o Padre Andriy, que enterra os corpos encontrados nas valas comuns em Butcha: "419 pessoas foram mortas nos bombardeamentos. Não morreram de velhas, mas sim por culpa da violência. Havia várias valas comuns. A maior estava ao pé da igreja, com 116 pessoas, incluindo 30 mulheres e duas crianças. Mas não era a única", conta o sacerdote.

Havia várias valas comuns, a maior das quais estava ao pé da igreja e tinha 116 pessoas enterradas.
Andriy
Padre

Bucha, perto de Kiev, foi palco de um dos episódios mais impressionantes desta guerra, quando as tropas russas se retiraram e deixaram para trás centenas de mortos civis, muitos dos quais se suspeita que tenham sido executados. Até agora, ninguém foi oficialmente incriminado pelo massacre. Os dados agora divulgados dizem respeito unicamente a ações dos russos. No entanto, a Ucrânia é visada por outros relatórios, nomeadamente um da Amnistia Internacional, denunciando práticas contrárias às normas internacionais, que Kiev se apressou a desmentir.