Última hora

Parlamento Europeu aprova resolução que condena estado da democracia na Hungria

Parlamento Europeu aprova resolução que condena estado da democracia na Hungria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Perante o clima de endurecimento da postura contra os imigrantes na Hungria, o Parlamento Europeu aprovou esta quarta-feira uma resolução em que critica uma consulta popular na qual se relaciona migração com atividades criminosas e terrorismo.

O documento refere também a importância da Comissão Europeia acompanhar de perto a situação na Hungria.

“É uma mensagem muito forte, porque na verdade mostra que uma maioria deste parlamento está completamente contra a atitude e o comportamento de Viktor Orbán. Estamos chocados e é com surpresa que vemos que o Partido Popular Europeu, que é uma força importante neste parlamento, continua sistematicamente a apoiar Orbán”, sublinhou o eurodeputado liberal belga Louis Michel.

A texto alerta a Hungria para as consequências da aplicação da pena de morte e apela a que se estabeleça um mecanismo de controlo da democracia no país.

Para o eurodeputado húngaro György Hölvényi, pró-Fidesz, a formação do primeiro-ministro Viktor Orbán, não há motivo para polémica: “Em relação à pena de morte está claro que não existe, trata-se apenas de um debate. Não há intenção de aplicar a pena capital. Foi um mal-entendido. A questão é que se investigassem os 28 Estados-membros a um nível tão profundo a Europa seria um lugar melhor.”

Um relatório do Conselho da Europa manifestou recentemente preocupação com o desenvolvimento de um discurso antissemita, racista e homofóbico na Hungria e com a falta de reações que isso desperta junto das autoridades.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.