Última hora
This content is not available in your region

Os 110 anos do Futurismo

euronews_icons_loading
Os 110 anos do Futurismo
Tamanho do texto Aa Aa

O Futurismo faz 110 anos. Este movimento artístico e social começou em Itália em 1909, quando o poeta italiano Filippo Tommaso Marinetti escreveu "O Manifesto Futurista", que foi publicado na primeira página do jornal francês Le Figaro. Marinetti nasceu no Egito em 1876 no seio de uma família italiana que vivia em Alexandria, estudou em Paris e depois mudou-se para Milão.

"Assim que chegou a Milão, ele percebeu que havia ocorrido uma mudança histórica na sociedade, até na sociedade italiana, e decidiu que era altura de começar uma revolução estética em todas as áreas das Artes", explica Ada Masoero, curadora da exposição Futurismo, que está patente no Palazzo Blu, na cidade italiana de Pisa, até 9 de fevereiro.

Os Futuristas admiravam tudo o que consideravam moderno: a velocidade, a tecnologia ou uma cidade industrial... Tudo o que representava o triunfo tecnológico do homem sobre a natureza, e eram nacionalistas apaixonados. A música, a arte e a arquitetura - tudo foi incluído para mudar a sociedade.

"Estes Manifestos foram dirigidos ao público, à multidão e não a um pequeno grupo de iniciados. Essa foi outra peculiaridade do movimento que certamente foi um dos mais importantes movimentos avant-garde do século XX", destaca o presidente da Fundação Palazzo Blu, Cosimo Bracci Torsi.

Muitos futuristas italianos apoiaram o fascismo na esperança de modernizar um país dividido entre o norte industrializado e o sul arcaico e rural. Filippo Tommaso Marinetti foi um dos primeiros membros do Partido Nacional Fascista.