This content is not available in your region

Rami Yasin, cineasta: Realizar filmes de estúdio "não era para mim"

Rami Yasin, cineasta: Realizar filmes de estúdio "não era para mim"
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai
De  Gorkem Sifael

Rami Yasin é cineasta e fundador da Breakout Films no Dubai. Foi apresentado ao mundo do cinema pelo pai, que trabalhava no cinema e na televisão. "Era um adolescente que vivia nos Emirados Árabes Unidos (EAU), nos anos 80, e ver filmes era a minha janela para o mundo", conta.

Rami estudou realização na Academia de Cinema de Nova Iorque, escrita na Escola de Cinema de Vancouver, e detém ainda um bacharelato em Artes Liberais. Quando um antigo colega iniciou uma produtora no Dubai, Rami decidiu voltar aos EAU. 

Rami Yasin com o pai, que o apresentou ao mundo do cinema

Após realizar e produzir anúncios televisivos durante quase uma década, Rami aproveitou a oportunidade para trabalhar como realizador de casting e primeiro assistente de realização em 'Syriana', filme que tem como protagonistas Matt Damon e George Clooney. "Expôs-me à forma como os filmes de estúdio são feitos, que é uma forma incrível de fazer um filme, mas não era para mim. Não era por isso que eu queria estar na indústria", diz Rami.

Olhar para uma página em branco sem nada e, de repente, construir um mundo cheio de personagens e eventos e depois ver que se transformam numa história completa e numa viagem é como ter um bebé
Rami Yasin
Cineasta e fundador da Breakout Films

Rami encontrou a sua verdadeira paixão no cinema independente, onde pode ter uma participação maior na narrativa e no desenvolvimento criativo. "Olhar para uma página em branco sem nada e, de repente, construir um mundo cheio de personagens e eventos e depois ver que se transformam numa história completa e numa viagem é como ter um bebé", comenta o cineasta sobre o processo. 

Depois de produzir vários filmes que foram exibidos em alguns dos mais prestigiados festivais, como a Berlinale e o Festival Internacional de Cinema de Toronto, a primeira curta-metragem escrita e realizada por Rami, "In Overtime", estreou e competiu no Festival Internacional de Cinema de Veneza, tendo ganho ainda a menção do júri no Festival Internacional de Cinema do Dubai

Em 2020, a primeira longa-metragem que escreveu e realizou, "Bloodline", tornou-se num sucesso comercial em plena pandemia de covid-19. "Depois voltei a produzir e foi-me oferecida uma oportunidade de me juntar à Image Nation para trabalhar na 'Watcher', que foi seleccionada para estrear e competir no Festival de Cinema de Sundance", diz Rami.

Rami e a Breakout Films continuam a trabalhar em vários projetos de cinema e televisão e colaboram com artistas e fornecedores locais no Dubai, entre eles a Filmquip Media, a Nested VFX e a Pixojam. "Passa por muitos testes e desafios ao fazer um filme, e por vezes o que nos salva são os nossos colaboradores, que são tão apaixonados como nós", conclui.