This content is not available in your region

Feira Art Dubai aposta na arte digital

euronews_icons_loading
Feira Art Dubai aposta na arte digital
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai
De  euronews

A décima quinta edição da feira Art Dubai apresentou mais de cem exposições de 44 países.

Este ano, o evento possui uma nova secção, dedicada à arte digital. “É a primeira vez que se pode comprar arte com criptomoeda aqui na Art Dubai. É muito interessante. Permite atrair um público novo, uma nova base de coleccionadores, novas gerações. E por isso estou muito entusiasmado. Quando há revoluções ao nível da tecnologia, há sempre uma revolução na cultura", sublinhou Shumon Basar, comissário do Global Art Forum.

A feira Art Dubai quer afirmar-se como um mercado global para artistas e galerias de regiões menos representadas a nível internacional.

"O posicionamento estratégico do Dubai passa por uma aposta na dimensão internacional. O objetivo é afirmar-se como a plataforma ideal para descobrir a arte dos países do sul. É importante destacar geografias que não sejam ocidentais. Estamos a falar do Médio Oriente, de toda a África, Ásia do Sul, do Sudeste Asiático, Índia e Paquistão, afirmou Benedetta Ghione, diretora executiva da Art Dubai.

O evento visa também estimular os artistas locais. "Para mim, o Art Dubai é um sítio muito especial. Vivi nos Emirados Árabes Unidos nos últimos catorze anos. Recebi recentemente um visto gold pela minha contribuição para a cena da arte digital. Antes não era artista, era banqueira e adorava a Art Dubai quando sonhava com a minha identidade artística", contou a artista Amrita Sethi.

A edição 2022 do World Art Dubai

Todos os anos, a cidade dos Emirados acolhe também o World Art Dubai, no World Trade Centre do Dubai. Um evento que atrai artistas do mundo inteiro.

Julian Castaldi, artista oriundo do país de Gales, esteve no Dubai para visitar um amigo há nove anos e acabou por ficar.

"Penso que a grande diferença entre trabalhar no Reino Unido, em Los Angeles, e aqui é a diversidade. Fiz obras em árabe e hindi, o que não teria acontecido noutro sítio. É um trabalho muito diversificado, eclético. Apaixonei-me pelo Dubai, pela vibração e pela mistura de nacionalidades. A cena artística era espectacular. Por isso, nove anos depois, ainda aqui estou", contou o artista britânico.

Fundado em 2008, o bairro artístico de Alserkal, no centro da zona industrial de Al Quoz é outro dos locais da cidade dedicados às artes.

Para mais informações, visite a página Destination Dubai, na euronews.