Última hora

Última hora

Procurada pela polícia francesa, Hayat Boumeddiene pode afinal estar na Síria

Considerada, pelo menos até agora, uma peça-chave na cronologia dos ataques em Paris, Hayat Boumeddiene, a jovem procurada pelas autoridades

Em leitura:

Procurada pela polícia francesa, Hayat Boumeddiene pode afinal estar na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Considerada, pelo menos até agora, uma peça-chave na cronologia dos ataques em Paris, Hayat Boumeddiene, a jovem procurada pelas autoridades francesas, pode afinal estar na Síria desde o início do mês.

De acordo com fontes policiais, a 2 de janeiro terá partido de França rumo à Turquia, via Madrid, antes de chegar ao destino, dias mais tarde.

A companheira de Amedy Coulibaly, abatido pelas autoridades, tem sido apontada, até agora, por suspeitas de cumplicidade no sequestro no interior de um supermercado de produtos kosher em Paris.

Também foi referenciada por envolvimento, juntamente com Coulibaly, na morte a tiros de uma agente de polícia em Montrouge, no sul de Paris.

Às buscas da polícia somam-se os avisos da Al-Qaida, que esta sexta-feira divulgou um vídeo detetado pelo serviço norte-americano de vigilância de sítios islâmicos na Internet. Nesse vídeo, um suposto responsável pela organização no Iémen, Harith al Dhari, ameaça França com mais ataques.

Uma questão naturalmente discutida na reunião de crise do executivo gaulês deste sábado. O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, sublinhou que os riscos com que França e também os restantes países da União Europeia se deparam requerem “vigilância extrema”: “Fizemos um balanço do contexto, ainda expostos a riscos. Por isso é importante que o plano Vigipirate, que foi reforçado na região de Paris e que se estende em parte ao conjunto do país, se intensifique ao longo das próximas semanas.”

Nesta fase são muitas as perguntas ainda sem resposta. Os investigadores continuam averiguar a relação de Hayat Boumeddiene com os ataques de Paris.