Última hora

Última hora

Inovação digital "made in" Letónia

Estamos na Letónia, onde a revolução digital está no auge. E não é por acaso que se encontram aqui muitas PME’s inovadoras nesse domínio e capazes de

Em leitura:

Inovação digital "made in" Letónia

Tamanho do texto Aa Aa

Estamos na Letónia, onde a revolução digital está no auge. E não é por acaso que se encontram aqui muitas PME’s inovadoras nesse domínio e capazes de propor serviços nos quatro cantos do mundo.

Uma ideia simples e eficaz, permite aos internautas criar infografias com os seus próprio dados. O serviço de base é gratuíto, mas há opções pagas para os profissionais.
Esta start-up foi criada há três anos por três pessoas. Hoje tem 35 empregados de 12 nacionalidades, aqui em Riga e mais dois numa delegação em São Francisco. A empresa acaba de comprar um sítio web no Brasil.

“Somos os primeiros no mundo a fornecer infografia no espírito faça você mesmo. Atualmente temos dois milhões de clientes por todo o mundo e perspetivamos o nosso potencial de mercado nos próximos dez anos em 100 milhões de clientes”, diz Uldis Leiterts
Co-founder, Infogr.am

Prosseguir a internacionalização introduzindo novas línguas na plataforma é o objetivo desta start-up, que conseguiu o financiamento necessário – um milhão e meio de euros – para o lançamento, através de dois fundos de capital de risco alemães e britânicos.

Uldis Leiterts explica:
“Mais importante do que o dinheiro, os investidores trouxeram um mundo de relações e de conhecimentos que ajudaram os nossos executivos a estabelecer contacto com pessoas que tinham por hábito trabalhar com o Google e outras companhias internacionais”

Como abordar esta revolução digital enquanto empresário? Quais são as chaves do sucesso neste domínio? Já a seguir deixamos algumas respostas..”

Enfrentar a revolução digital é, sem dúvida, um dos grandes desafios das PME’s europeias, sobretudo quando se sabe que o potencial de negócios do digital na Europa se calcula em milhões de milhares de euros. Mas, para isso, é preciso não descurar as componentes destes negócios:, como refere Reinis Zitmanis: “Um mercado suficientemente grande.. mas muito direcionado, algo de muito específico.. Algumas ideias e um interface acessível ao utilizador. A terceira componente é, algo de novo, algo que ninguém ainda tenha disponibilizado. Se existirem estas três componentes, o mercado europeu e mundial estará aberto!

Quando se decide criar uma empresa com uma atividade puramente digital , ou se se transforma a atividade tradicional de uma PME é preciso ter em conta que existem regras básicas para a organização da empresa.

Reinis Zitmanis define algumas regras:
“A primeira é que a gestão pode não ser vertical como é hábito. É mais como uma equipa de trabalho e é preciso ouvir todos os elementos da equipa e manter um espírito aberto. Depois, é preciso trazer para a equipa pessoas com conhecimentos e ideias na área digital e é preciso ouvir também os clientes”.

O co-fundador da Infogr.am, Uldis Leiterts, tem uma máxima:
“Para mim, a chave do sucesso é pensar global. Pode-se iniciar e gerir uma empresa global de um local qualquer da Europa”