Última hora

Última hora

Começou operação de salvamento humanitário na região de Ghouta Oriental

Em leitura:

Começou operação de salvamento humanitário na região de Ghouta Oriental

Tamanho do texto Aa Aa

O Comité Internacional da Cruz Vermelha anunciou o início de uma operação na região síria de Ghouta Oriental, dominada pelos rebeldes, com o objetivo de resgatar de civis com necessidade de asistência médica no enclave, cercado pelo exército de Bachar al-Assad.

Segundo o Comité, encontram-se, na região, cerca de 400 mil pessoas, cercadas pelas tropas sírias desde 2013. Pelo menos metade serão crianças.

A Sociedade Médica Sírio-Americana (SAMS, sigla em inglês), anunciou que os primeiros quatro pacientes chegaram a hospitais da capital, Damasco. São os primeiros de cerca de 30 casos considerados graves. Novos grupos, com necessidades urgentes de assistência médica, deverão ser transferidos nos próximos dias.

A operação é possível graças a um acordo entre o Governo de Bashar al-Assad e um dos grupos rebeldes, o Jaish al-Islam.

A organização do Crescente Vermelho da Síria explicou aos jornalistas que a operação foi o culminar do que definiu como "longas negociações," sem dar mais detalhes sobre o processo ou os intervenientes.

Domingo, o presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, disse que cooperava com a Rússia em operações de resgate em casos de emergência médica.

Uma longa espera e 16 mortos

A existência de cerca de 500 pacientes, alguns dos quais, em estado grave, levou as Nações Unidas a lançarem um pedido urgente de assistência às populações.

Mas a ONU viu-se obrigadas a esperar durante meses pela autorização da parte do Governo de Damasco para dar início à operação.

Pelo menos 16 pessoas terão morrido enquanto esperavam por assistência médica, diz a organização, que fala ainda na existência de várias crianças com cancro na região de Ghouta Oriental.

As populações do enclave rebelde têm sido alvo de ataques aéreos. Os rebeldes responderam com bombardeamentos sobre Damasco.

A região de Ghouta faz parte das chamadas zonas definidas pelos negociadores russos e iranianos oara o apaziguamento do conflito sírio, próximos do Governo de Bashar al-Assad, e turcos, aliados de grupos rebeldes.

A guerra na Síria, conflito civil que envolve a influência de potências e interesses regionais, teve início em 2011 e jácausou mais de 340 mil mortos, contribuindo, por outro lado, para a chamada crise dos migrantes e refugiados no continente europeu dos últimos anos.