Última hora
This content is not available in your region

Wagner in Bayreuth, Verdi em Macerata

Wagner in Bayreuth, Verdi em Macerata
De  Nelson Pereira
Tamanho do texto Aa Aa

Wagner in Bayreuth

O prestigiado Wagner Opera Festival realizado na cidade alemã de Bayreuth, está em pleno andamento. O festival é um dos eventos culturais mais importantes na Alemanha. Foi concebido pelo próprio Richard Wagner, que em 1876 organizou o primeiro festival.

A chanceler alemã Angela Merkel e o marido, Joachim Sauer, estavam entre os convidados para a apresentação de “Tristão e Isolda”, ópera em três atos com música e libreto de Wagner, trazida a palco pela diretora do festival e bisneta do compositor, Katharina Wagner.

O espectáculo assinalou os 150 anos da obra de Wagner, que estreou no dia 10 de junho de 1865.

O tenor americano Stephen Gould foi entusiasticamente aplaudido pela sua excelente interpretação de Tristão.

O festival tem estado desde 1876 sob a tutela da família Wagner. Desde 2009, a direção pertenceu a Eva Wagner-Pasquier e à sua irmã, Katharina Wagner. Com a edição deste ano, Wagner-Pasquier vai deixar o cargo nas mãos de Katharina.

Depois de uma renovação e ampliação substancial, o Museu Richard Wagner foi este ano reinaugurado, depois de ter estado cinco anos encerrado. O museu abre pela primeira vez ao público a casa onde viveu até à sua morte, em 1930, um dos filhos do compositor, Siegfried. A reabertura foi agendada para coincidir com o arranque do Festival de Bayreuth.

Para o evento deste ano, que decorrerá até 28 de agosto, foram vendidos 60 mil bilhetes.

A programação inclui, para além de “Tristão e Isolda”, “Lohengrin”, “O Holandês Voador” e as quatro óperas que compõem “O Anel dos Nibelungos”.

Macerata Opera Festival

O Festival de Ópera de Macerata é um dos mais antigos festivais de ópera em Itália. Este ano, uma nova versão de “Rigoletto”, de Giuseppe Verdi, inaugurou a 51.ª edição deste evento musical. Esgotaram os lugares no teatro Sferisterio, para a estreia de um “Rigoletto” que o diretor Federico Grazzini situou num contexto que poderia ter sido inspirado nos filmes de Quentin Tarantino.

A época 2015, que encerrará dia 9 de agosto, propõe um programa tradicional de óperas italianas, como “La Bohème”, de Giacomo Puccini, e as obras primas do Verismo “Cavalleria Rusticana, de Pietro Mascagni, e “Pagliacci”, de Ruggero Leoncavallo.