A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

O crescimento sustentável em debate no Fórum Económico de Astana

O crescimento sustentável em debate no Fórum Económico de Astana
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O crescimento sustentável foi um dos temas em debate na 12ª edição do Fórum Económico de Astana, no Cazaquistão.

Situada no meio das estepes da Ásia Central, a capital do Cazaquistão voltou recentemente a mudar de nome, para Nur-Sultan, em homenagem ao antigo presidente.

"É uma das capitais do mundo com um crescimento mais rápido e uma das mais jovens. O nível de urbanização e as tendências que influenciam o desenvolvimento da cidade criaram muitas possibilidades e numerosos desafios", frisou Bakhyt Sultanov, autarca de Nur-Sultan.

Crescimento urbano sustentável

O crescimento urbano sustentável foi um dos temas debatidos este ano no Fórum Económico de Astana. Vivem cerca de um milhão de pessoas na capital do Cazaquistão e a cidade registou um crescimento rápido nos últimos anos.

"Queremos inspirar o crescimento e queremos um crescimento que inspire as pessoas e que as leve a pensar o mundo de uma forma diferente da atual", disse Victor do Prado, do World Trade Institute.

"Numa altura em que é preciso criar cidades inteligentes, temos de olhar à nossa volta para as cidades que já o fizeram, para aprender. Veja o caso de Singapura, Dubai e Barcelona. Depois, temos de criar a nossa própria versão", sublinhou Xavier Sala-i-Martin, professor de Economia da Universidade de Columbia.

Uma região estratégica na Ásia Central

Lançado há mais de uma década pelo presidente Nursultan Nazarbayev, que se demitiu em março de 2019 após quase trinta anos no poder, o Fórum Económico de Astana reúne personalidades do mundo inteiro numa região do mundo vista como estratégica.

As várias edições do evento acolheram convidados de 150 países, incluindo vinte prémios Nobel.

"É um fórum mundial sobre temas muito importantes, nomeadamente a questão da economia global e da incerteza que reina hoje em dia", afirmou José Antonio Ocampo Gaviria, presidente do Comité do Conselho Económico e Social para o Desenvolvimento, das Nações Unidas.

"Há conferencistas muito respeitados que partilham as suas recomendações que nos ajudam a seguir a boa direção no Cazaquistão", disse Aigul Solovyeva, presidente da Associação das Organizações Ambientais, no Cazaquistão.

FMI defende "crescimento inclusivo"

Este ano, os ministros das Finanças e os diretores dos bancos centrais da região participaram numa mesa redonda sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

"Centramo-nos em processos que podem aumentar o nível de vida das pessoas e levar a um crescimento maior, mais sustentável e mais inclusivo nesta região", disse Christine Lagarde, diretora do Fundo Monetário Internacional.