A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Geórgia quer diminuir tensões com a Rússia

Geórgia quer diminuir tensões com a Rússia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Geórgia e Rússia trocaram acusações após os tumultos em Tbilisi (capital da Geórgia) no seguimento da visita de um deputado russo ao Parlamento georgiano.

A presidente Salome Zourabichvili chegou, mesmo, a classificar os russos de "inimigos e ocupadores".

Em entrevista à euronews, Zourabichvili afirmou que é preciso controlar o escalar das tensões entre os dois países.

euronews: Falemos desta enorme manifestação antirrussa que teve lugar em Tbilisi. Sabe por que razão os manifestantes protestaram?

Salome Zourabichvili:"Penso que a reação da população foi muito natural, mas não creio que devamos continuar nessa direção. O que este país precisa, acima de tudo, é de tranquilidade e estabilidade interna, porque essa é a nossa verdadeira força. Existe um problema político com a Rússia e todos esperam que um dia isso seja resolvido. Mas, entretanto, a Geórgia está a desenvolver-se. A Geórgia tem o seu próprio passado em relação à União Europeia, e isso é o mais importante."

e: Culpou Moscovo pelos distúrbios, sugerindo uma quinta coluna, leal a Moscovo, que lhe causou problemas. Pode explicar melhor isso?

SZ:"Penso que neste país e, como em muitos outros países, há tentativas de desestabilização e isso é algo sobre o qual devemos ser muito diferentes e ter cuidado. É muito fácil, num país como este, jogar com os sentimentos da população e agitar esses sentimentos."

e: Dadas as tensões com Moscovo, como encara a relação da Geórgia com a União Europeia?

SZ:"Bem, esse é o nosso caminho, temos uma perspetiva, um caminho e esse é a União Europeia. As tensões com Moscovo existiram, mas isso não impediu - por exemplo, que um milhão e meio de turistas chegassem a este país sem que houvesse qualquer incidente entre a população e esses turistas."

e: Como responde ao facto de Vladimir Putin suspender os voos para a Geórgia?

SZ:"A resposta é que os turistas devem continuar a vir porque amam a Geórgia, e os políticos e dirigentes devem resolver os problemas que estão na base do que aconteceu. Resolver estes problemas significa que temos de reunificar os territórios georgianos, mas isso não deve afetar os turistas, não deve afetar a população, não deve afetar a situação pacífica que prevaleceu na Geórgia, apesar de tudo o resto."

e: Quais serão os próximos passos?

SZ:"Deveríamos ter uma diminuição da tensão, pois ninguém precisa - nem a Geórgia, nem a União Europeia - de outro ponto de tensão na região, em toda a região. Portanto, não é certamente esse o objetivo da Geórgia. Continuaremos o que temos estado a fazer, que é responder com meios pacíficos a quaisquer tentativas de criar tensões."