Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Controlo da Thomas Cook pode passar para mãos chinesas

Controlo da Thomas Cook pode passar para mãos chinesas
Direitos de autor
REUTERS/Paul Hanna
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A bóia de salvação da mais antiga agência de viagens do mundo poderá vir da China.

A empresa britânica, Thomas Cook, está a tentar negociar com o seu acionista chinês, Fosun, um resgate de 750 milhões de libras - mais de 940 milhões de euros, que não só passa o controlo para o grupo Fosun Tourism mas atribui-lhe também uma participação minoritária nos negócios aéreos da Thomas Cook.

O negócio está a ser feito à margem de outros acionistas de longa data, que não se mostram satisfeitos, mas segundo a direção é puro pragmatismo para tentar manter viva a Thomas Cook.

Desde que as negociações foram tornadas públicas, as ações da Thomas Cook já cairam 30%

O Fosun International é um dos maiores conglomerados da China, que passou os últimos anos a comprar empresas na área dos cuidados de saúde, turismo e moda nos Estados Unidos e na Europa. Entre outros detém o Club Med e o clube de futebol Wolverhampton Wanderers.