A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Três dias de amor pela música no NOS Alive

Três dias de amor pela música no NOS Alive
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Durante três dias, o amor pela música juntou mais de 150 mil pessoas de todos os continentes no festival NOS Alive, em Lisboa.

Os sete palcos do festival NOS Alive, em Algés, acolheram mais de 100 apresentações. A música de vários estilos e latitudes foi o elemento aglutinador das boas vibrações das várias tribos.

The Cure no primeiro dia

The Cure

Os The Cure foram cabeça de cartaz na primeira noite de música no NOS Alive. Ao longo de duas horas, a banda lendária tocou grandes sucessos internacionais como “Boys Don’t Cry”, “Close To Me”, “Just Like Heaven”, “Lovesong” e “Friday I’m In Love”.

No mesmo dia, os Mogwai, quarteto composto por Dominic Aitchison, Stuart Braithwaite, Martin Bulloch e Barry Burns, não passaram despercebidos. A banda escocesa deu um espectáculo memorável no palco principal.

Em entrevista à euronews, Barry Burns, criticou duramente o Brexit. "É um desastre. É vergonhoso. Não sei como é que um pequeno grupo de pessoas estúpidas tem tanto poder de decisão. É difícil para mim, porque eu moro na Alemanha. É mais difícil obter uma autorização de residência. Ficou tudo de pernas para o ar", disse Barry Burns à euronews.

Rapper brasileiro Emicida fez vibrar palco Clubbing

O rapper brasileiro Emicida foi outra das presenças marcantes do festival. Em entrevista à euronews, o músico de São Paulo, fez questão de afirmar a urgência de denunciar os problemas raciais e as desigualdades sociais no Brasil.

“Estamos a brincar com um barril de pólvora quando nós fazemos o que fizemos na última eleição, entregar a presidência da República a uma pessoa completamente irresponsável. Essa é a questão. Por isso, acho que é urgente falarmos sobre estas desigualdades para que possamos evoluir para uma sociedade melhor", sublinhou Emicida.

Segundo dia com Gossip e Vampire Weekend

Os Gossip tocaram pela terceira vez no NOS Alive. A banda prepara-se para realizar uma digressão especial na Europa para celebrar os 10 anos do álbum "Music For Men".

Os Vampire Weekend apresentaram o novo albúm no palco principal. Até ao final do ano, a banda de Nova Iorque tem a agenda preenchida com mais de 45 concertos nos Estados Unidos e na Europa.

Gossip
Vampire Weekend

Grace Jones em concerto memorável

O público contou ainda com o regresso da diva Grace Jones. O espetáculo da artista Jamaicana de 71 anos promete ficar na memória dos festivaleiros.

Grace Jones

O rock alternativo de Vetusta Morla

Ao terceiro dia, o melhor do rock espanhol subiu ao palco principal. O concerto dos Vetusta Morla não deixou ninguém indiferente. A banda nomeada para três Grammy Latinos encheu o palco NOS com a sua energia característica.

Em entrevista à euronews, Juanma, guitarrista da banda, manifestou descontentamento face ao crescimento da extrema-direita em Espanha.

“Apresentam uma solução que, na realidade, é falsa e cheia de mentiras, com um fundo ideológico de desprezo total pelos direitos humanos. Para nós, são precisamente os direitos humanos que devem reger a convivência entre os povos e entre as nações”, frisou o músico espanhol.

Grávidas com espaço especial no NOS ALIVE

Enquanto o público disfrutava de um ambiente espetacular, também as grávidas tiveram direito a assistir aos concertos num lugar preparado especialmente para elas.

O serviço de acesso especial permite uma entrada mais cómoda, livre de empurrões, para futuras mães e para pessoas com mobilidade reduzida.

Plataforma de mobilidade condicionada NOS ALIVE