Última hora

A competição entre as plataformas de "streaming"

A competição entre as plataformas de "streaming"
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto a Apple se prepara para entrar em competição com a Netflix, olhamos para os novos elementos que entram no mercado, para desafiar o seu domínio global. Além disso, a Wework explica porque é que a ascensão e queda desta gigante do "co-working" pode ser um problema para outros amantes da tecnologia.

A maneira como consumimos televisão mudou drasticamente na última década, à medida que as plataformas de streaming como a Netflix se tornaram mais populares em todo o mundo.

Segundo a Reuteurs, a Netflix tem cerca de 160 milhões de subscritores em todo o mundo, que por apenas alguns euros, podem desfrutar de conteúdos originais dos seus países, para além de séries aclamadas como "The Crown", "Stranger Things" e "Orange Is The New Black". O sucesso da Netflix deve-se aos preços relativamente baixos e à falta de concorrência global significativa, mas tudo isto pode estar prestes a mudar.

A Apple - a empresa pública mais lucrativa do mundo está prestes a entrar em competição com os maiores gigantes do setor. "The morning show", protagonizada por Jennifer Aniston, é uma das 8 séries originais disponíveis na Apple TV Plus, uma nova plataforma que será lançada em novembro. De acordo com o Financial Times, entra no mercado com orçamento para conteúdo original de mais de 5 mil milhões de euros.

"O ponto forte deles é claramente a marca. Já têm a plataforma Apple TV bem estabelecida. Acho que a fotografia que a Jennifer Aniston publicou é uma das mais bem-sucedidas da história do Facebook e do Instagram. Ela tem muitos seguidores. Conseguir atrair este tipo de talentos é algo impressionante da parte da Apple".
Maaz Sheikh
Diretor executivo & co-fundador, Starz Play

Mas o Apple TV Plus é apenas um dos vários serviços que procuram competir com plataformas já bem estabelecidas, como a Netflix e, é claro, a Amazon Prime, que até agora não produziu nenhum sucesso.

Os principais elementos no mercado incluem: a "HBO Max", "Disney Plus", "Pluto TV" - propriedade da Viacom - e a plataforma "Peacock", da NBC-Universal - algumas não estarão ainda disponíveis fora dos Estados Unidos.

A Netflix deu as boas-vindas à nova competição no relatório do terceiro trimestre apresentado aos acionistas. Apesar de lidar com a diminuição no crescimento dos subscritores, a empresa apresentou o maior lucro do ano até agora, em 2018. Também possui uma presença global incomparável que pode ajudar a compensar as quotas de mercado perdidas nos Estados Unidos ou noutros locais.

Embora o novo panorama de "streaming" represente mais opções para os consumidores, também pode fazer com que os espetadores mais jovens abandonem os meios tradicionais mais rapidamente - meios que já se encontram numa situação difícil na era digital.

E, das guerras de streaming para uma dos executivas de marketing mais famosas dos nossos tempos. Bozoma Saint John é aclamada como uma espécie de líder da indústria, pelo trabalho desenvolvido com marcas com a Pepsi, Uber e Apple Music. Para saber mais, encontramo-la no Gitex, um dos maiores salões de tecnologia da região.

Teve uma carreira formidável. Trabalhou com a Beats by Dre, Uber e agora William Morris Endevour. Como tomou estas decisões de negócio?

É a loucura da paixão. Honestamente, a paixão pelo trabalho, a paixão pela humanidade, pela cultura justa e o que nos faz vibrar. Eu adoro tudo isso. É por isso estou sempre à procura do que é novo e interessante em diferentes setores. Infelizmente, tive alguns desafios ao longo do caminho. O fato de ser uma mulher negra nos negócios obrigou-me a mudar muitas vezes, quando não estava preparada, mas tudo por uma causa maior".
Bozoma Saint John William
William Morris Endevour

Porque é conferências deste tipo são tão importantes para as empresas?

"Se tivermos um negócio do século XXI e achamos que a tecnologia não nos vai afetar, estamos completamente enganados. É muito importante que todos os tipos de empresa entendam a tecnologia, que percebam como a tecnologia pode ajudar e como, por vezes, pode representar um perigo. Estamos a criar novas abordagens, às vezes assustadoras, e outras vezes apenas reinventamos o que já existe".
Bozoma Saint John
William Morris Endevour

Como é ser uma mulher negra num mundo predominado por homens brancos?

"É um mundo inteiro de homens brancos, mas não há problema, as mulheres estão a chegar. É a nossa era, é a nossa hora. Nem sequer é o futuro, o presente é feminino. É por isso que quero uma união de forças. Não apenas as mulheres que as mulheres unam forças, mas também os homens. É melhor para as empresas. É melhor para a humanidade. É melhor para a nossa consciência - saber que as mulheres estão na corrida. Mas se só está preocupado com os negócios: é melhor para os negócios. Não é teoria, é um fato real."
Bozoma Saint John
William Morris Endevour
"Se quiser entrar no mundo dos negócios e está apenas a começar: não siga as regras. Só precisa de seguir a sua paixão. Seguir os seus instintos sendo fiel a estes instintos. Não é algo que se diz e depois se esquece . Seja fiel à paixão. Se não gostar do que faz, não fará o seu melhor. Encontre a sua paixão, sempre."
Bozoma Saint John
William Morris Endevour

E, finalmente, o gigante do co-working Wework tem sido notícia nas últimas semanas, mas pelas razões erradas, o que devia ter ser um novo capítulo empolgante para a empresa acabou em crise.

Foi uma queda que surpreendeu muitos, já o plano da Wework para realizar uma Oferta Pública Inicial multimilionária falhou. O gigante imobiliário, que conta com mais de 800 espaços de trabalho conjunto em todo o mundo.

Mas o plano na bolsa da Wework foi cancelado depois dos investidores questionaram as grandes perdas e a administração sob a direção do cofundador, Adam Neumann, que a chamou de "empresa de tecnologia" - apesar de ser a maior ocupante privado de escritórios em Manhattan, Washington e Londres.

Semanas depois, o Softbank, que já era um dos principais acionistas da empresa-mãe, garantiu uma operação de compra no valor de mais de 9 mil milhões de euros, o que elevou sua participação para 80%. Além disso, ofereceu a Neumann, que já se tinha demitido do cargo de diretor, um acordo complementar generoso para se retirar da administração também. Mas a Wework ainda não está fora de perigo e ainda é difícil prever o que o futuro reserva à empresa.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.