EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Novas séries de televisão apresentadas no Festival de Monte Carlo

Novas séries de televisão apresentadas no Festival de Monte Carlo
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As estrelas das séries televisivas marcaram presença na 56ª edição do festival de televisão de Monte Carlo, entre 12 e 16 de junho.

PUBLICIDADE

As estrelas das séries televisivas marcaram presença na 56ª edição do festival de televisão de Monte Carlo, entre 12 e 16 de junho.

O público pode ver desfilar atores e atrizes de séries norte-americanas conhecidas e de programas ainda por estrear.

O Festival é a ocasião para mostrar as novas séries de televisão e conhecer os protagonistas das séries que já são célebres.

A Euronews entrevistou vários atores e atrizes.

“Estamos a viver o renascimento da televisão, de uma televisão interessante que tem atraído os melhores argumentistas. O formato ajuda. Numa série, podemos ter temporadas com quatro, oito ou doze episódios. Mas, ainda estamos muito ligados ao antigo modelo de 22 ou 24 episódios. É uma fábrica”, sublinhou Thomas Gibson, ator da série “Mentes Criminosas”.

O elenco de “The Flash” marcou presença no Festival de Monte Carlo. A série gira em torno de Barry Allen, um rapaz normal até ao dia em que é atingido por um raio e se torna no homem mais rápido do mundo.

A euronews falou com Candice Patton, uma das atrizes de “The Flash”.

“Vivemos a idade de ouro da televisão. A qualidade dos produtos televisivos é muito elevada, incluindo as séries de super-heróis. Digo sempre que cada semana fazemos um mini-filme. Os efeitos especiais são excelentes. Em termos de qualidade, a fronteira entre cinema e televisão é cada vez mais fina”, disse Candice Patton.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estilista saudita Reem al Kanhal reinventa vestidos árabes tradicionais

Banda sonora da Guerra das Estrelas em 3D

Museu Basco, em Baiona, reúne quadros de Diego Velázquez sobre "Paz dos Pirenéus"