This content is not available in your region

A primeira equipa feminina de corridas de camelos nos Emirados

euronews_icons_loading
A primeira equipa feminina de corridas de camelos nos Emirados
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai
De  Euronews

A primeira equipa feminina de corridas de camelos nasceu nos Emirados Árabes Unidos.

"Tudo começou com o desejo de aprender a andar de camelo sozinha. E logo que consegui fazê-lo, só queria continuar. E depois, como era um feito histórico, a nossa equipa é a primeira equipa feminina de corridas de camelos, esta atividade tornou-se muito motivante e uma honra para nós. Sinto muito orgulho em fazer parte desta equipa", afirmou Katie Higgins.

Toda a gente pode aprender a andar de camelo

O Campeonato de corridas de camelo decorre em Al-Marmoom. "Mais de 200 pessoas assistem a esta corrida, a primeira corrida para mulheres de diferentes países. Estou muito feliz não só por mim, mas pelo grupo", afirmou Obaid Juma bin Subaih al Falasi, fundador e proprietário de camelos do centro Arabian Desert Camel Riding.

A co-fundadora e treinadora do Centro Hípico do Deserto Árabe, Linda Krockenberger, acompanha as pessoas que desejam experimentar a corrida de camelos. "Abrimos com o único objectivo de dar formação aos principiantes. Não é preciso experiência para se juntar ao nosso grupo", disse Linda Krockenberger.

Contacto com os camelos suscita "paz e felicidade"

Para Linda Krockenberger, é extremamente gratificante ver as pessoas a sentirem-se à vontade com os camelos. "Muitas pessoas nunca tiveram contacto com um camelo e não sabiam como se aproximar ou interagir com ele e pouco a pouco essa barreira desaparece. É gratificante ver essa mudança", sublinhou a responsável.

"Senti que era muito gratificante encontrar paz e felicidade ao trabalhar com camelos e compreender melhor a cultura dos Emirados. Quis apenas dar a oportunidade a outras pessoas de viver esta experiência. Muitos estudantUm gryupes perderam um pouco a ligação directa com os animais e têm de reconstruir esse laço. E isso não acontece apenas quando está em cima do camelo mas também cá fora. Devemos incentivar essa ligação", acrescentou a responsável.