Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Recrutas Espaciais: uma profissão fixe

Recrutas Espaciais: uma profissão fixe
Tamanho do texto Aa Aa

Trabalhar na indústria espacial é mesmo algo do outro mundo. Três jovens engenheiros com um trabalho de outra galáxia representam uma nova geração de profissionais e já transformaram o sonho de trabalhar no espaço, numa carreira na Terra.

Abbie Hutty é Engenheira de estruturas: “Adoro trabalhar na missão Mars Rover. Porque é fixe. Acho que a maior parte das pessoas concorda, que trabalhar numa missão, que finalmente vai acontecer e vai a Marte é muito fixe.”

Já Marc Costa Sitjà, Engenheiro de operações Científicas na Agência Espacial Europeia acredita que: “O melhor deste trabalho é que estamos a conduzir um veículo espacial que está noutro planeta, não pode ser mais fixe.”

Maria Komu, investigadora no Centro Meteorológico Finlandês conta que: “Há cinco anos o meu maior sonho era tocar nalguma coisa que fosse para o espaço. E agora estou a trabalhar com os instrumentos que vão para o espaço, é inacreditável! No Instituto Meteorológico da Finlândia fazemos previsões meteorológicas e todo o tipo de investigação. Investigação no Ártico investigação marinha e investigação do clima espacial.”

Tanto Maria, como Abbie e Marc já têm responsabilidades importantes. Maria trabalha num mini-satélite finlandês e nos instrumentos meteorológicos para a ExoMars, a missão da Agência Espacial Europeia. Abbie está a desenvolver a estrutura do ExoMars Rover e Marc planeia a operação do satélite Venus Express. A ideia de explorar o nosso sistema solar foi a inspiração para os três cadetes.

Todos estes recrutas espaciais possuem mestrados. Maria está também a fazer um doutoramento. Aos vinte e poucos anos, dão os primeiros passos na carreira e aprendem na prática. A preparação de uma missão a Marte e a construção de satélites, rovers ou estações meteorológica exige formação, conhecimento e dedicação. A todas estas características junta-se uma grande dose de entusiasmo que faz desta profissão algo muito “fixe”.